Talvez apenas a questão do ego...

Não são assim tantos amigos a ter uma PSP. Cá em casa a Playstation que era do pai fazia perfeitamente o jeito mas volta e meia lá pediam a PSP.
O pai conversou com eles há 1 ano e pouco e explicou-lhes que uma PSP é apenas isso e que um Tablet seria muito melhor, mais versátil, um mundo maior de opções na mão. Concordaram. Comprámos os tablets e realmente continuamos a pensar que é uma opção mais inteligente. Além de que cada um tem o seu quase pelo preço da dita PSP.

Tudo corria bem mas há uns tempos voltaram os pedidos da PSP. Penso que o problema é alguns amigos terem e levarem para a escola... não concordo e fico-me por aqui.
O filho do meio era o mais faminto por uma PSP. Como o aniversário deste mesmo filho coincide com o dia de Santos o pai disse-lhes que podiam comprar a PSP com o dinheiro que recebessem no aniversário do R. (todos acabam por receber prendas e dinheiro nos aniversários uns dos outros) bem como o dinheiro de pedir os Bolinhos Santinhos. E assim foi. Conseguiram cumprir o objectivo e penso que nem tivemos que investir um cêntimo.
A PSP chegou há coisa de 2 semanas. Primeiro foi o delírio, obviamente. Esta semana... passada a febre da novidade... ainda não a vi.
E é isto! Por muito que tentemos não ceder ao TER por TER, ao consumismo, às modas e fazê-los compreender tudo isto há coisas que só mesmo para confortar o ego, parece-me.
Mas foi com o dinheiro deles. E isso já me parece um bom princípio.

A diferença de 10 anos... é esta:

Estava com a música na cabeça, a banda sonora dos meses de Erasmus, triste mas bonitinha, até porque a única coisa de jeito que dava na tv era a Ally McBeal. Falo-lhe nela, não consigo expressar-me devidamente e vou ao Youtube mostrar-lhe:

Ele ouve e diz: "Vê a original, do Roy Orbison", e mostra-me:


Tão, tão bonita! Há músicas que cantadas e sentidas por um homem ficam ainda mais bonitas!
A década que nos "separa" dá nisto, as memórias dele superam-me e encantam-me!

Definição de felicidade

Dar-lhes banho, enfiar-lhes pijamas quentinhos, cortar 50 unhas (sim 50, o mais velho rói as das mãos pelo que dá menos trabalho). Vê-los espalhar creme de coco na cara, no pescoço, na barriga, nos pés, nos braços, nas mãos.
Deitá-los e ficar com o aroma deles na pele.

Bolas que às vezes é preciso pouco para ser feliz.

Isto das linguas estrangeiras...

Ontem, no balneário, após a natação, estava a vestir o meu mais novo e, ao lado, pai e filho de uma das famílias chinesas cá do sítio. Falam português, especialmente o miúdo que é, inclusivamente o melhor aluno da turma.
Entre eles falavam na sua língua. Noto o meu filho a olhá-los de boca aberta e digo, baixinho e discretamente:
- Oi, então?
Ele olha para mim e diz:
- Mamã, porque é que os meninos chineses falam inglês com os pais?
Ahahahaahahahahaha

Provavelmente ouviram mas eu já nem olhei e tentei apenas conter o riso.

Sabem a  expressão "isso para mim é chinês"? Par o meu filho é tudo inglês!

A estrela que brilha

Ontem foi um dia complicado, difícil mesmo. Achei que não sobrevivia, nem ele.

No final do dia, mesmo antes de os irmos buscar à escola, uma BOA notícia, que ele merecia e teve, pela qual ele trabalhou e em cujo resultado Positivo não acreditava... às vezes penso que há-de ser bom ser pessimista e depois ter Boas surpresas! Orgulhosa dele até á ponta dos cabelos e da alma!!!! O meu herói, o herói dos nossos filhos! :) E o que é que uma mãe quer mais?!!!!!!

Um dia de cáca que mudou ali, naquela notícia, tudo voltou a ganhar sentido, tanto sentido que quando chegámos a casa, a pedido dos meninos, fizemos a árvore de Natal. Sim, Um mês certinho antes do Natal. O dia terminou com luzinhas a piscar na sala, em toda a casa. Só falta a estrela. Temos uma que fiz com pauzinhos e spray dourado mas o meu filho do meio não gosta, quer daquelas que se compram, super brilhantes e pirosonas. Faça-se a sua vontade. Hoje vamos comprá-la!

Smile

Se eu pudesse é mais que sabido que gostava de ter mais filhos. De preferência 3 meninas, agora. Seriam a Ana, a Rita e a Luísa, ponto final. (Além de continuarmos com nomes de família têm as iniciais dos 3 rapazes, tudo estudado...)

Mas não se pode, nem sei se teríamos estrutura para tal, a todos os níveis.

Fez no domingo uma semana, quando os fui deitar, banho tomado, calma, paz e descontração, um fim-de-semana caseiro e divertido, o meu filho do meio perguntou:
- Mamã, podes ter mais 3 filhos?...

Ahahahahahahahaah

O mais velho insistiu também na questão mas o mais novo, muito rápido e creio que em pânico rematou:
- Não, não podemos, já não temos mais camas...

AHAHAHAHAHAAHAHAH

O problema nunca serão as camas mas eles estão já numa fase maravilhosa de cumplicidade e traquinices, a três. Temos muito mais tempo e espaço a dois porque eles já não são tão exigentes. Heaven!

No domingo, eu entre tachos e comezainas, eles na sala a brincar. O mais velho e o mais novo desentenderam-se e o mais velho disse que ia contar ao pai. E eis que ouço o mais novo:
- Se fores dizer ao papá já não te dou abracinhos...

E o mais velho desistiu, voltou atrás e deram um abraço...

Estes momentos são de registar e relembrar para esquecer os outros, de grande caos e confusão...
É sorrir! Tal a bênção!!!

Ufa, é segunda-feira...

Os meus últimos 4 dias, em modo acelerado e de festa, com muito tempo passado na cozinha:
Tirei a quinta à tarde e a sexta-feira para preparar festas de aniversário. E ainda bem, ou não me tinha orientado...
Quinta fiz o bolo do meu filho do meio, coisa mais linda e fofa e que já tem 7 anos...
Sexta principiei arrumações, depois de almoço fui levar bolo à escola, os colegas cantaram-lhe os parabéns, fui comprar a prenda, voltei à escola pois tinha prometido que saiam mais cedo. Já em casa abriu a prenda, um órgão que tanto queria, foi muita música para os ouvidos de uma pobre mãe... Mas ficou feliz e isso é do melhor!!! Adiantei algumas coisas para a festa dos amigos no sábado.
Sábado acordei às 7h15 com o telefonema de uma vizinha/mãe de uma amiguinha para irem pedir os bolinhos santinhos. Foram ao mais velhos, já muito independentes, sob a guarda da irmã mais velha da amiga. Às 10h00, já eu tinha uma fornada de queques e o bolo n.º 2 de aniversário feitos veio a minha irmã buscar o mais novo que foi com a  prima pedir os bolinhos. Foi um festim de dinheiro, rebuçados e chocolates...
Depois de almoço e agradecendo a  todos os santos (até porque era Dia de Santos) o facto de não chover pusemos a mesa no jardim, balões na varanda, mesa de matraquilhos na varanda e os amiguinhos começaram a chegar. Quando o grupo estava todo fomos com 20 pequenas pestes dar uma caminhada na floresta atrás de nossa casa que é, diga-se, um pequeno paraíso. Eles adoraram e, mais importante, estiveram, entretidos por 1 hora...
Quando voltámos a casa pusemos a mesa e foi ver despachar comida... tal não foi a caminhada...
Cantámos os parabéns e fizemos o concurso de chapéus de bruxa. Como o R. faz anos do Halloween pedimos no convite para trazerem chapéu para concurso. Trouxeram quase todos pelo que a festa foi um mix aniversário/Halloween... O vencedor ganhou uma embalagem de Maltesers e outra de pastilhas.
Mais bola, mais matraquilhos, mais bolo e os pais começaram a aparecer. Foi uma tarde bem passada. Arrumámos as coisas, a casa estava praticamente intocada, graças a Deus que no dia seguinte havia almoço de família, continuação das festas...
Já nem fiz o bolo para domingo, o meu corpo suplicava pela cama. Temperei as carnes, fervi a galinha para a sopa, fiz uma tarte de maçã e pouco mais...
Levantei-me às 7h30 e foi despachar tarefas na cozinha.
Fiz o bolo de aniversário, este para o pequeno R., bolo n.º 3..., para a minha sogra e para mim...
Fiz canja de galinha; lombo recheado com farinheira; esparregado de feijão verde; legumes assados no forno em papelote, batatas fritas e salada...
Ás 11h tinha tudo pronto e estive para telefonar à família para virem mais cedo, ahahahahah
Almoço de família. Sempre uma maravilha, apesar das grandes, enormes, ausências...
Depois de almoço fomos à Feira dos Santos, na vila e que é uma loucura e se estende por ruas e ruas...

Eras 8 da noite e eu já suplicava pela cama. Preparei malas deles, adiantei lanches e mais qualquer coisa e às 10 já estávamos todos na cama, o céu...

Nota má: a menina abusou um bocadinho e esta semana tenho muito que me cuidar pois tenho consulta na nutricionista sábado que vem... ai, ai, ai... mas tem corrido tão bem que eu tenho que me perdoar e compensar. Hoje há Zumba e 4.ª feira o R. vai com os meninos à natação para eu poder zumbar outra vez... É todo um mundo novo... :)

Dos 35 aos 36 vai um passinho!

Sim, sim, amanhã faço 36 anos, fica o aviso!

Ao contrário de muita gente eu ADORO fazer anos, sinto sempre que subi de nível no jogo da vida (e isto tem toda a lógica pois os jogos no final... acabam, como a vida, certo?!!!) :)

Ora, posto isto, e porque não estou só aqui a avisar que faço anos, há toda uma mudança a operar em mim, nesta fase da minha vida.

Uma mudança que anda há anos para se tornar realidade. Tudo começou graças ao meu marido que não é daqueles que come e cala e que tem a frontalidade e a honestidade de dizer: Sim, estás gorda. O que vais fazer com isso? Em vez de dar uma palmadinha nas costas e dizer: Deixa lá, podia ser pior!
A sinceridade será sempre a palavra que melhor o vai definir na minha/nossa vida.

Quando passei os 100 kg na última gravidez e me mantive na casa dos 80 uns bons meses ele foi determinante para eu pensar em perder peso. E perdi. Perdi o suficiente para ter ficado com o peso mais baixo desde os meus 14 anos..., recuperei muita roupa que comprei há 10, 15 anos e fui andando. Ainda assim, não fiquei com o meu peso ideal e há, claro, partes de mim mais flácidas do que o desejável. Pari 3 crianças, o que fazer?
Pois, há muita coisa a fazer!!!

Há cerca de 1 ano comprei uns ténis para ver se me punha a mexer. Mal os tenho usado. Ao ponto de, ontem, ao sairmos de casa para o passeio solidário do mês da luta contra o cancro de mama, o meu filho mais novo me ter perguntado se tinha uns ténis novos...

Ora bem, há 2 semanas fui à consulta numa nutricionista que agora temos cá (através da Associação de Pais, com preços ótimos para os sócios). Fiz o plano durante 15 dias e 2 caminhadas. Deia ter feito mais caminhadas mas mesmo assim os resultados estão a ser tão bons que não dá para acreditar! Eu sinto-me... BEM! Não só mais magra, mas MUITO BEM!!!

Ontem fiz a caminhada que referi de manhã, foram 3,5km's. À noite fiz outra com a minha mãe, de uns 5 ou 6 km's. Hoje, no último dia com 35 anos vou à minha primeira aula de Zumba, ahahahaahah
Quinta-feira fomos fazer umas compras e eu entrei na Sport Zone para comprar um fatinho para fazer actividade física, EU, sim EU tenho um fato para fazer ginástica! Ahahahaahah

O que se passa comigo? Com o entusiasmo o R. ontem foi ao sótão dos meus sogros buscar toda uma artilharia para fazer exercício (uma mala das grandes cheia de artigos que cansam só de olhar para eles, ahahahaahaha).

Fazer anos, preparar-me para subir de nível neste jogo tem destas coisas, este ano foi esta necessidade de pensar em mim, na minha saúde, no meu físico. Preparar-me para os 40 que, segundo dizem, são os novos 20. E, bolas, sinto-me muito melhor, a todos os níveis, do que aos 20 em que tudo eram dúvidas e incertezas, e muita falta de determinação.

Sim, amanhã faço 36 anos! Oh, yeah!!!!




Notícia atrasadíssima.... mas feliz! Tenho que partilhar!

Falei aqui que a associação de pais ia organizar o Dia da Família. Assim foi. E foi muito bom. Já foi no dia 4 de Outubro e o tempo esteve maravilhoso.
Inscreveram-se cerca de 50 famílias, mais de 200 pessoas. Faltaram algumas mas foi bestial. Tanto que durante uns dias toda a terra falou naquilo e acredito que no início do próximo ano lectivo, sim este evento vai marcar sempre o início do ano lectivo, vai ser ainda maior e melhor.


Porque imagens valem mais que palavras, atentem nisto:
Passeio Pedestre de manhã nas margens do Tejo
Quem não foi ao passeio foi à pesca.... ahahahaahah pesca....

Workshop sobre nutrição á beira Rio antes do almoço


Almoço Picnic. Os "meus" estão à direita. Pormenor da cesta e da manta, tudo como manda a lei... :)
 
workshop sobre "ouvir os filhos" após o almoço...


 

Canoagem com o meu filho do meio. Foi a 1.ª vez deles, amaram...

Jogos tradicionais, havia vários, adoro este...
 
Zumba ao fim do dia, antes do Churrasco, ahahahahaah
E por fim... tivemos uma escola de equitação itinerante. As crianças adoraram, andaram, andaram, repetiram... Os adultos também dentro do possível! Ahahahahaahah
AHAHAHAAHAHAH - O GOZO QUE TEM SIDO... :)


A APEE é que é!

Em Junho recebemos convocatória da Associação de Pais cá do sítio para Assembleia geral com eleições os meus olhos bateram na data da entrega da lista. E se?...
Mostrei ao R. e ele atirou: "Candidata-te." Estava meio a brincar.
Andámos alguns dias a falar no assunto, vai, vou, não vás, não sei se vou, não sei se devas ir, não sei também. havia "se's" de várias formas e sempre a pergunta: "para quê? compensa? ou só desgasta?".
No fundo nem sabíamos muito bem o porquê da Associação já que nunca nos interessámos muito pelo trabalho da anterior.
Um dia, tipo na véspera da entregar as listas candidatas o nó desembrulhou-se. Ele disse algo como "estas coisas até são o teu estilo" e eu disse "ou então temos outro filho" e ele disse "vai lá para a Associação, então" ahahahaahah. Foi uma correria pois já andavam nomes a soar na minha cabeça.
Engraçado que alguns convites que enderecei foram a pessoas com quem nunca tinha falado mas em quem vi "potencial". E foi no dia limite, na hora limite que entreguei a lista.

Esta APEE tem 30 anos, ou seja, foi fundada quando entrei na 1.ª classe. Os meus pais nunca souberam o que era ou para que era. Tem tido um papel relativamente "apagado".

No dia 12 de Junho, única lista candidata... ganhámos. Ahahahahaahah

E desde aí tem havido algum trabalhinho. Que tem!

Temos imensos planos que passam, muito, por cativar mais os pais para acompanharem o percurso escolar dos filhos, as escolas não são depósitos, são espaços em que os nossos filhos recebem formação, que complementa a que lhes damos e é fundamental que haja uma boa relação entre as duas partes.

O nosso primeiro evento do ano é já no sábado, vamos fazer o Dia da Família. Temos cerca de 150 inscritos. Terá como espaço uma praia fluvial. Haverá pesca entre pais e filhos; um passeio pedestre, jogos tradicionais, 1 workshop de pés na areia com uma dietista, outro com um psicóloga. O almoço é um picnic com mantinha no chão. Haverá zumba, vólei de praia, canoagem... E uma escola de equitação itinerante vem, sem custos, com 2 cavalos para miúdos e graúdos experimentarem. Termina com um churrasco que oferecemos.

O nosso dia-a-dia nem sempre leva a que vivamos um dia destes, há tanto que fazer ao fim-de-semana... mas com este mote, de estar em família, com famílias, vamos sair de casa e podemos ter várias experiências diferentes num dia que nos é dedicado!

Não é um trabalho meu, é da tal equipa que juntei à ultima da hora. Cheguei a convidar 2 mães no balneário nas piscinas depois da natação dos meninos. E tem sido um grupo fantástico. Tenho olho para boas pessoas!

Até alguns professores já se manifestaram agradados com a proximidade que temos demonstrado. Basta uma carta a desejar-lhes um Bom Ano lectivo, é óbvio que se sentem mais queridos pelos pais.
A APEE tem tantas ideias, tantos projectos que juro que precisamos de alguém a tempo inteiro, ahahahahaahahahahah

Factos da minha vida e já estamos no outono

- A Associação de Pais dá imenso trabalho (se calhar era melhor ter tido outro filho, ahahahahah);
- Continuo a adiar o projeto da minha vida (profissional/vocacional) e isso enerva-me;
- Os quilos que perdi no fim do verão pararam novamente. E sinto-me "inchada" (e lixada, também)...;
- É incrível a minha capacidade de planear actividade física, sim, eu disse planear... de fazer planos;
- A chuva e este tempo enervam-me um bocadinho.... mas as moscas molengas deixam-me à beira de um fanico;
- Maria Vitória não tem saído da garagem e a mota dele já voltou da p*** da revisão que ascendeu aos 3 dígitos, a roçar os 4... (glup) e a dar cabo de qualquer orçamento familiar, mas é tão bonita, a malandra!
- Uma amiga recente divorciou-se e o problema não foi a surpresa, é ver, como no sábado e hoje quando estive com ela, como uma mulher maravilhosa, pode ficar tão perdida. Penso nisto, obviamente, todos os dias. No que um dia é e no outro já não é. No que fazemos por amor, por desamor, por faltar o chão, este chão que construímos a DOIS e que é tão precioso e rege a nossa vida, que é o nosso projecto de vida e que um dia... pode não existir... mas ainda voltarei a este tema...
- Está, penso, definida a data para baptizar os meninos, é uma data bem bonita, cheia de significado. Não me apetece casar pela Igreja. Morreram-me os 2 padres com quem podia/sonhava fazê-lo. Isto pode parecer estranho mas não é...
- Continuo a pensar se deveríamos ter outro filho. Ao ponto de chegar ao fim do dia e fazer o exercício: se estivesse grávida o que não tinha/tinha feito; medição do grau de stress do dia; e por aí adiante e há toda uma SWOT que se cria na minha cabeça, ahahahaahahahaahah


Noites...

Terça-feira o mais velho entrou no nosso quarto a 1 minuto do despertador tocar. De repente despertou e ele mandou um salto que não consigo descrever, ahahahhhhahahahah
Na noite seguinte às 4 da manhã o do meio veio para a nossa cama porque estava a ter um pesadelo. Primeiro não contava, o pai começou a dizer o abecedário e quando acertasse na letra ele dizia para nós adivinharmos o que era. Parou no K. "Kapa???" Sonhou que estava a lutar com um kanguru... ahahahahaahah
A noite passada o mais novo foi ao nosso quarto à 1 da manhã a dizer que não encontrava a luz do wc porque não sabia da parede... ahahahahahah

Descansar??? Dormir 7 horas de seguida? Não há tempo!

Destravadinho...

Ontem o pai de um colega do meu filho do meio disse-me:
- Hoje o teu filho teve uma tirada engraçadíssima comigo. Hás-de perguntar-lhe.

Em casa perguntei-lhe o que tinha falado com o pai do A.
- Nada, quando ele foi buscar o A. só o fui cumprimentar.

Voltei a insistir:
- Mas ele disse que disseste qualquer coisa que o fez rir.

Resposta:
- Ah, sim, sim. Disse-lhe que estou quase do tamanho dele...

Não sei se me ria se chore. Sim, é uma pessoa baixa mas é preciso tanta frontalidade?!!!

Foi um elogio, não foi?!!!

Ontem fui buscá-los às 16h30. Estava super ansiosa. Correu tudo bem, estavam felizes e cansados e incrivelmente suados de tanta correria e brincadeira.
Antes de irmos para casa fomos ao supermercado. Já perto das caixas, onde estão os expositores de revistas o meu filho mais velho disse:
- Parecias mesmo tu naquela revista.
Eu olhei, vi várias figuras, figurinhas e figuronas e perguntei: QUAL?
Ele apontou para a Sara Matos e disse: ESTA!

Já mais para os 40 do que para os 20 ou mesmo 30 e com 3 filhos o meu filho disse-me que pareço uma miúda de 20 e poucos, elogiada actriz, jovem talento e engraçadinha, bem gira, vá. Giríssima, pronto.
Não têm noção do bem que fez ao meu ego, ahahahaahahah

1.º Dia de Aulas - Gestão e Distribuição de Recursos Humanos

Sexta-feira passada tirei o dia para colar etiquetas no material escolar novo e preparar psicologicamente os meus filhos para o início do novo ano escolar. Dei um jeito à casa, passei 3 montanhas de roupa e até o jantar de hoje, 2.ª feira, já ficou adiantado. Eu sou desorganizada por natureza mas quando faço estes exercício com vista à organização do nosso espaço e da nossa logística sinto-me mais equilibrada e ficamos todos mais felizes.
O fim-de-semana foi preenchido mas muito bom. Eles tiveram festa de anos(começa a saga) no sábado e depois fomos para casa dos meus sogros, estávamos cá os tios e os primos, de modo que eles estiveram bem e felizes que é o que se quer.
Hoje levantei-me às 7h30. Aquela meia-hora sozinha antes de os acordar é de uma importância extrema. NOTA: mantém essa rotina, dona da mota, mantém!
Acordei filhos e pai. Vestiram-se, desceram para comer, lavar dentes e pentear. Puseram creme, perfumaram-se e perto das 9h00 estava tudo pronto. Encho o porta-bagagens de mochilas, sacos e sacões: almofada, muda de roupa, mochilas carregadíssimas de saber, caixas de material de sala, malas de lanches... Mais 4 sacos com cartas aos pais, da Associação de Pais, a dar as boas-vindas ao novo ano lectivo.
Entrámos todos no carro e seguimos. Estacionámos praticamente em cima de uma passadeira, tudo cheio de carros, alta confusão.
Acolhimento com direcção do Agrupamento. Depois reunião com professoras. No Jardim foi só deixar o pequeno L., que ia cheio de saudades e ficou sorridente. Depois dividimo-nos, pai foi com mais velho e eu com o do meio. Chegámos ao trabalho perto das 11h00, cansados. Eles ficaram todos bem, pareceu-nos! Ufa!
E agora estou em modo an-si-o-sa por ir busca-los! :)

Ontem eles...

Regressaram ao ninho.

Pela mensagem da minha mãe percebi que chegariam exactamente quando eu teria que sair. Havia um cerimónia de homenagem que ia apresentar e que iria ser muito emotiva, eu já sabia.
Saí de casa sem vestígios de ninguém. Fui. Começou. Alguns sentimentos mais fortes. Tremeram-me as pernas (e se tremeram...). Recompus-me e correu bem. Muita gente. Muito bonito.
A meio de um dos discursos olhei para o lado e vi 3 crianças lindas e maravilhosas, todos vestidinhos com riscas, todos meus. Sorri, fiz um "adeus" discreto.
Quando terminou fui ter com eles. Beijinhos e começaram as novidades, o que compraram, cartas este, um cavalo aquele, que vai fazer colecção, e que não sei mais o quê....
Às tantas, pausa e um dos meus filhos disse:
- Falaste bem, estás tão gira, nem parecias tu....

E é isto, os meus filhos voltaram! Ahahahaahahahaahahah

Depois fomos para casa ter com o pai. As exclamações de felicidade quando entrámos na nossa rua e viram a nossa casa... Apitei 3 vezes e o pai apareceu à varanda. Concluíram que apitei uma vez por cada um deles, ahahahahaah.
Fiz jantar para CINCO, juro que nem sabia onde tinha a toalha da mesa, ahahahaahah
Chamar para a mesa, mas como mãe, aqui temos internet e que saudades da net... Comemos, estivemos. Depois, mandar lavar dentes, mandar arrumar as coisas deles no quarto, mandar vestir pijama, mandar para a cama. Eu adorava dizer: pedi-lhes educadamente para seguirem o protocolo pós jantar mas não, é assim, sempre a mandar, como se não o conhecessem... como se não soubessem... Beijinhos e até amanhã. TODOS em casa.
QUE BOM!

MARIA VITÓRIA FAZ UM ANO!!!!

Faz hoje, sexta-feira, um ano que saí do trabalho cheinha de curiosidade. Estava feliz. Mais feliz fiquei quando chegou a carrinha da transportadora e a vi pela primeira vez ao vivo. TÃO, TÃO BONITA!!!

Nesse dia nem fui capaz de andar sozinha com ela. Parecia-me enorme, tinha medo de cair, de a riscar...

Mas depois fomo-nos conhecendo. O R. deu-me aulas práticas e a partir daí veio tudo natural. Uma relação séria, para a vida.

O nome, o nome é perfeito. Sabe mesmo a Vítória ter esta mota. Valeu a pena a espera, os quase 20 anos de espera. Não quereria outra mota que não esta. As coisas só acontecem quando tem que ser...

Ainda não tem 500 km's. Sai da garagem quando está bom tempo e é o meu/nosso meio de transporte nas férias dos meninos. Eles também gostam dela (continuando a preferir as do pai, óbvio, gajos, ahahahahaahah).

Além de gostar dela pelo que representa para mim, e por ser a minha cara, é muito económica, esta bichinha! Para terem noção, nestes quase 3 meses de férias deles só abasteci 2 vezes, algo como 12 euros. Parecendo que não, é o que gastamos por semana quando utilizamos carro... É só fazer as contas...
Hoje o R. dizia que se soubesse o que sabe hoje tinha comprado uma acelera e não uma bicicleta nos seus tempos de teen. Temos andado os dois nela, todos os dias (normalmente seria entre a minha e a dele mas está na oficina há um mês, revisão na marca misturada com férias...). Às vezes conduzo eu, outras ele, que também gosta dela e chega aos 80 km's/h na recta entre casa e o trabalho quando eu faço a coisa pela metade, ahahahahahaah.

Tendo este blogue o nome dela, faço aqui a merecida festa. Parabéns por este ano Maria Vitória. És mesmo um sonho realizado!
Que venham muitos mais!


Nota: O R. ajudou-me a preparar o cenário de festa, não está lindo?!!! O estacionamento é junto ao meu trabalho onde fica todos os dias à nossa espera! São uns 6 lugares de motas e há cada vez mais motas estacionadas...

Longe dos pais, que somos nós

Dia 1 - Não vêm ao telefone
Dia 2 - O mais velho vem ao telefone e a minha mãe confidencia que já perguntou quantos dias faltam para voltar para casa.
Dia 3 - Vêm todos ao telefone, falam com a mãe, depois com o pai. O mais novo pergunta ao pai se lhes pode dar um telemóvel para nos telefonarem. Volto ao telefone e digo que, se quiserem falar, basta pedir à avó. A minha mãe diz que o mais velho anda com um ar de saudades absolutas, a fazer contas sobre quantos dias faltam para voltar para casa...

Hoje é o dia 4, ainda não falámos com eles. Quando falei com a minha mãe estavam a dormir a sesta pois vão sair à noite. Já ontem saíram, carrinhos de choque e mais não sei quê. De dia andam encantados a brincar na praia mas quando chega a noite... fo-fi-nhos...

O engraçado e surpreendente disto é que o mais velho só este ano deu nisto. Já quando estiveram com os meus sogros passava o tempo a fazer contas, pedia para telefonar...
Não imaginam como ele era desligado. Ia, gostava, não telefonava, parecia que não queria saber e, por muito que gostemos que sejam assim desprendidos, às vezes eu sentia-me um bocadinho...
Mas agora, aos 8 anos, revela-se este menino dos papás... com saudades, imagine-se! :)

Um sonho por realizar...

Ter este hotel no quintal! Não é maravilhoso?

Não, não matarei galinhas mas ter ovos frescos de manhã... é maravilhoso. Neste momento os ovos que consumimos são caseiros, das galinhas do meu sogro e da minha avó e só me lembro de ter que comprar uma vez em que as galinhas de ambos fizeram greve.

Um dia destes... vamos ter um destes!

Não é lindo? Ainda por cima condiz com a nossa casa! Sus-pi-ro!

15

Faltam exactamente 15 dias para os meus filhos iniciarem o novo ano lectivo. Ponto de situação:
- Livros: comprados (falta etiquetas com identificação)
- Material: comprado (falta etiquetas com identificação)
- Mochilas: as mesmas que estão boas e não estamos para brincadeiras
- Almofada (do mais novo): lavada ontem, a secar, perfumadinha como se quer
- Filhos: Na praia, alheios a tudo, em paz na companhia dos avós. Está-se bem!

Hoje fui à escola sede, reunião com Director no âmbito da Associação de Pais. Vi as 3 professoras dos meus filhos.
- A do mais novo continua apaixonada por ele, tão esperto, tão giro, tão fofo;
- A do mais velho, super bronzeada, dois beijinhos, como está o menino, tão educado, tão cumpridor, tão giro.
- A do do meio, beijinhos, grande abraço, como está o miúdo mais esperto e giro, se amadureceu nas férias (...) , espera-se um grande ano, que estou magra, tão gira, viu-me de capacete, espreitou a mota, fez-me prometer que a levo á escola para ela dar uma volta. Ahahahaah

E é isto, a 15 dias da escola começar. Eu a fazer Relações Públicas e gestão documental e logística e eles... na Praia, pois claro! Espero que saibam a sorte que têm! Que merecem!

Nota: já referi que estamos só os dois pois eles estão na praia?! :)

Ups...

Segundo este artigo do Expresso, na lista dos 50 livros que todos devíamos ler, percebo que, assim por alto:
- Li 3 ou 4 destes livros;
- Comecei e adormeci com outros tantos;
- Vi 5 ou 6 em filme (conta? A Gralha dirá que não.)

E se já lemos algo de um autor mas não o titulo indicado, estou na duvida...

Se Mia Couto, Jorge Amado e Gabriel García Márquez aparecerem nos 50 seguintes fico mais descansada. Se não, ando muito mal . E o Zafón, a paixão mais recente.

Mas e coragem para ler Platão?

Gralha e Mel já lamberam isto tudo??? Estou em falta para com o meu intelecto?

ADORO listas!

Estudar para Dona de Casa!

Ele tem passado as tardes de sábado na Biblioteca e assim será por mais umas semanas.
Eles aproveitam, e bem, o fantástico espaço do lado, a Ludoteca, onde brincam, vêem livros, fazem teatro, desenham, se atiram para a piscina das bolas, fazem barulho/não fazem barulho, divertem-se, portanto!
Eu leio revistas e lambo livros. Na sábado passado devorei a prateleira da Culinária e soube-me bem! Muito bem, mesmo!
Esta nova fase da vida dele fará de mim uma excelente cozinheira, tal o curso intensivo!
Não falo de cor pois não imaginam (eu estupida, não fotografei) o manjar que apresentei à família (15 pessoas) no almoço de domingo,  a ver:

- Sopa de agrião
- Salada de grão com bacalhau e ovo
- Salada de abacate com gambas
- Salada normalíssima de tomate e pepino (a única que os meus filhos comeram, ahahahaahah)
- Lombo com farinheira no forno com batatinhas (do nosso quintalinho) assadas - Destaque para o belíssimo ponto com que atei o lombo e que aprendi no dia anterior na Biblioteca! Estudar é mesmo essencial em tudo na vida!
- Pudim Paraíso
- Tarte de Nata (a minha irmã perguntou: foste tu que fizeste? Sim, é um elogio encapotado)
- Bolo de aniversário: Pão de ló com recheio de chantilly e morangos frescos (do nosso quintalinho) e cobertura de chocolate e pintarolas (os meninos decidem sempre a cobertura e é sempre a mesma, ahahaahah). Nota: Substitui alguma da farinha por fécula de babata - ESTUDEI que torna o pão de ló mais fofo por dentro e estaladiço por fora!

Ah! Mas no dia antes, acabadinha de sorver dicas e petiscar receitas (atentem na quantidade de trocadilhos possíveis) na Biblioteca fiz um maravilhoso Rolo de Carne para o jantar. É todo um novo mundo que se abre!

Ansiosa pela nova maratona. Ao lado da Culinária está a Costura. É desta*! Aguardem-me! :)

* é que a própria da máquina já habita lá em casa...
 

Resumo de 15 dias de férias....

Cheguei ao trabalho e disse ao meu chefe:
- O que eu preciso de descansar...
Ahahahahahah

Estas duas semanas resumiram-se a:
- marido/filhos/casa, o triângulo perfeito;
- limpezas daquelas que adiamos até não poder mais*...
- obras (o meu marido concluiu que se perder o emprego tenho futuro na construção civil o que, parecendo que não, é um elogio);
- sestas quase todos os dias, um refresh a meio do dia... acho que tenho uma costela espanhola...
- para terminar, o aniversário do homem mais extraordinário do mundo e arredores, que é o meu! :)

Mais simples, trabalhoso, proveitoso e agradável não podia ter sido!
Concluímos que, para ser mesmo bom, para o ano vamos tentar tirar um mês de férias assim de seguida. Há-de ser qualquer coisa de muito bom! 1 mês longe do mundo, fora do rotina, entre nós, por nós, connosco... suspiro pelo ano que vem... :)

* apontamentos "engraçados":
- no dia em que lavei as janelas veio a máquina fazer o desaterro da garagem que estamos a construir. Um pó nos ares que não dá para explicar;
- no dia em que fiz limpezas ao armários da cozinha, o R. decidiu terminar uma porta que faltava mais o pó e a serradura no chão da cozinha... ahahahah
- No dia em que arrumei os últimos babetes lá de casa a minha irmã esqueceu-se do da minha sobrinha e pediu-me um.
Não acertei um timing sequer mas tudo me deixou feliz.

Para todos os gostos

O que é que os meus filhos querem no próximo aniversário de cada um:
A., 8 anos: Um helicóptero telecomandado ou uma ovelha;
R., 6 anos: Um piano ou um cão;
L., 4 anos: Uma Moto4 ou... uma Motosserra...
Ahahahaahah
Quer em parecenças, quer em feitios, quer em gostos... fizemos 3 seres absolutamente únicos. É também por isso que dá vontade de ter mais, como seria?!... Ahahahaah

Consultor de imagem privado - eu tenho!

Quando ainda andava no Jardim-de-infância o meu filho do meio um dia disse-me:
- Porque é que não pintas as unhas dos pés? A E. (educadora) pinta e fica mais bonito...
A partir daí esta que vos fala, que odeia verniz nas mãos (entra-me com os nervos, o que querem?) não passa sem pintar as unhas dos pés e faz uma criança feliz!

Ontem, numa conversa sobre cabelos (porque o mais novo anda a ver com quem se parece, a cor do cabelo deste é como a daquele...) falámos de pintar o cabelo, pois as avós pintam. Eu disse que nunca vou pintar, vou deixar que os brancos apareçam aos poucos, misturados no preto, que acho muito bonito e natural.
Resposta do meu filho do meio:
- Que horror....
Ahahahahahah
Mas desta vez não cedo, meu querido! Ahahahahaah

8 da manhã, na Padaria

Esta noite não chegando a ditar a regra decorreu como algumas que envolvem noitadas/directas do meu homem. À uma e pouco íamos deitar-nos, ele lembrou-se que tinha o computador da minha sogra para arranjar e foi pô-lo a fazer qualquer coisa. Sentei-me no sofá a esperar por ele. Peguei num livro de Giddens (aqui a Gralha fica orgulhosa da menina) sobre a educação e cheguei à conclusão que muitas das minhas ideias/crenças são factos científicos, estudados, comprovados e concluí, ainda, que se me tivesse dedicado á minha área de formação havia de ser muito boa naquilo, ahahahahaahh!

Bem, esperei... esperei... e adormeci não sei a que horas no delírio acima descrito. Acordei às 6 e pouco com frio. Fui fazer um café para o meu homem que ia só fazer qualquer coisa e já tinham passado umas 5 horas... isto que descrevo é tão ele... quando tem um desafio não desiste. Orgulha-me e enerva-me ao mesmo tempo, o que há-de ser uma boa fórmula para um casamento sem rotinas ou monotonia...

Fui mudar a areia dos gatos, abri as portadas da sala que já era praticamente dia e voltei ao sofá, mais uma mantinha. Às 7h45 as crias mais novas desceram e acharam o máximo a mãe ter dormido no sofá e abriram os olhos de entusiasmo porque o pai ainda não tinha dormido, coisa mais fixe... chegaram inclusivamente a esticar a mantinha do sofá e disseram: "Fizemos a tua cama..." Ahahahahaah

Fui à padaria comprar pão fresco e uma arrufada para animar o homem.
Na padaria, estava já outra cliente a beber café e a comprar pão, que diz, entusiasmada:
- Amanhã abre a loja nova, o chinês.
A empregada da padaria responde:
- Ah, sim, diz lá dia 6....
Continua a primeira:
- Hum, vai dar cabo destes, está num sítio muito melhor...
Não sei se a empregada respondeu que a minha cabeça já estava em curto circuito...
Ora bem, na vila, mesmo no centro, onde toda a gente passa, há 2 lojas de uma família chinesa. Têm 2 filhos, o menino já nasceu cá e é um pequeno génio, absoluta e incrivelmente bem inserido na escola e na comunidade em geral. A mãe ainda fala um bocadinho mal português e o pequeno ia com ela às aulas de código para fazer traduções e ela lá conseguiu tirar a carta e já conduz. Well done! São uma família quase de cá, com o seu comércio, com a sua vida.
Não percebo porque é que a concorrência (muito mais mal localizada, sublinhe-se) tem que "vir dar cabo deles...". Não haverá espaço para todos? Mas é que isto não foi só na Padaria, já vi acontecer em contexto de trabalho, paroquial, associativo... em todo o lado. Quando há novidade, um novo elemento, é automaticamente melhor e vai dar cabo do anterior... chega a ser agoniante e se eu for ler novamente o meu amigo Giddens tenho a certeza que isto é um facto estudado e comprovado: é gente que dorme demais...


Copywriter

Outro dia o meu marido dizia que uma boa profissão para mim seria a de Copywriter, não fosse eu tão boa no que faço, ahahahahahaah! E que é, vá relativamente parecido. Acresce que a minha colega é uma excelente Copyreader, o que dá um certo nível a este gabinete (M, se me está a ver/ler, estou a fazer-te um elogio, ahahahah, boas férias!)
Adiante, dizia ele que tenho realmente perfil de Copywriter, a minha escrita vai mais por aí do que para romances históricos ou algo do género.
Dizia-me ele que eu podia fazer bons jingles para anúncios comerciais (nós dissecamos toda a publicidade que nos entra pelos olhos durante os intermináveis intervalos, há que ocupar o tempo...). O que sei é que se eu estivesse numa dessas empresas não apareceriam conceitos parvos de publicidade, como o ca#"ão do xeidafome (apelidado carinhosamente lá em casa por xeidapeidos, ahahahahaah).

Pronto, e é isto, se tiver que me definir profissionalmente numa língua estrangeira, será: Copywriter!

Dona de casa

A minha casa é muito gira (seria ridículo não pensar assim, se fomos nós que a escolhemos), mas está normalmente desarrumada o que me aborrece muito.
Limpar o chão, os wc e o pó ocasionalmente já é muito bom, mas são tarefas que ficam, amiúde, para o fim-de-semana o que me aborrece, também.
A montanha de roupa é enorme porque ainda tenho muita roupa de inverno para arrumar mas só de olhar para o monte vêm-me uns calores que não dá para explicar.
As paredes (de madeira), a maioria, padecem de uma limpeza ao pó.
As paredes (de alvenaria), 3 divisões no r/c, reclamam por uma pintura.

Isto para dizer que, depois de semana e meia de férias no verdadeiro sentido da palavra, vamos ter mais duas semanas que servirão, no geral, para tratar dos assuntos acima descritos, a jeito de ordem de trabalhos.
As carpetes das salas já estão na varanda a aguardar a enorme lavagem que necessitam.

Acresce que deve chegar entretanto a garagem que comprámos e é preciso construir a base de cimentos e montá-la. Se calhar duas semanas é pouco mas não nos restam muitos mais dias de férias.

Fora isto na semana passada fiz doce de abóbora e os meninos adoraram. No fim-de-semana fiz bolachas, uma tarde de pêssego e panquecas para o lanche o que me dá uma leviana ideia de que sou uma dona de casa irrepreensível. Ahahahahaahahah

Nota: uma das carpetes tinha sido lavada há pouco tempo mas umas certas criaturas comeram panquecas com doce de abóbora na sala e... pois!

Nós por cá

O meu marido "desenhou" a nossa família num daqueles programas engraçados e deu nisto:

Igualzinhos! Dizer que eu tinha acabado de cortar o cabelo e ele notou! :)

Associação de Pais

Fomos eleitos a 12 de Junho e já está a ser muito bom ter dado este passo. Mesmo!
Espero que este grupo consiga levar por diante os projectos que já se vão esboçando e até concretizando. Tudo me diz que sim!

Ah! Mas agora são as férias e só começam a trabalhar lá para setembro... ou outubro...
Nada disso!

Na última reunião pensámos fazer um conjunto de parcerias com o comércio/serviços locais para oferecerem descontos aos sócios da Associação.
A ideia é, pela apresentação do cartão de sócio as lojas darem 5, 10% desconto, o que for acordado.
Já começámos a distribuir pedido de parceria e a resposta tem sido... 100% positiva, uma coisa impressionante...
Falamos da papelaria que faz 5% em material escolar, da farmácia em determinada gama infantil, da mercearia que vai fazer num produto uma semana por mês... incrível!

Tudo junto pode fazer alguma, ainda que pequena, diferença na carteira dos agregados familiares!

Entretanto, pensámos fazer uma campanha de protecção solar infantil. Dizer só que na farmácia a que já fui trouxe automaticamente um protector oferecido comigo, ali, na hora! Tão bom!


Com o protectores oferecidos, é uma campanha 100% patrocinada, vamos ter protector disponível na recepção das piscinas (estamos a ver possibilidade nas praias fluviais), mas já é certo nas piscinas para as crianças que se esquecem/não têm.

Isto deixa-me feliz!

Spider L.

Já referi que o meu filho mais novo aparece e posa em 90% das fotos das férias. Mesmo. Ao pormenor.
Não acreditam?

Num fim de dia na praia:

Mamã tira fotografia ao spider man:
 

Agora aos calções:



















Agora as mãos:
 














Agora os pés:















Olha agora (o maior ar de reguila do mundo):



















Ahahahahaah! Amor próprio ali não falta!

A Curva

A curva é aquele momento que, se o passas sem travão, estás tramada.
A curva é aquela situação que, se vais já não voltas, ou podes voltar, mas com muito mais trabalho.

A curva existe e é geralmente o nível seguinte, mas temos que nos preparar, sempre, para  fazer.

A curva está presente em todas as situações da vida. Na estrada, no casamento, no trabalho, nas relações sociais, na educação dos filhos... em tudo.

Há uma curva, na minha vida, neste momento, que é o monte de roupa para passar. Deixei a curva dar-se. Houve aquele momento em que devia ter despachado a roupa e ainda era um trabalho aceitável, dentro do género não tão doloroso assim. Mas fez-se a curva e, neste momento, só de olhar para o Evereste que é o cesto (cesto?ahahahahah) da roupa parece-me inalcançável conseguir dar conta dele.

Há outra curva que se está a formar. Neste momento, desde que entrei para a Associação de Pais, os papéis que já se acumularam ainda são organizáveis, é o momento certo para o fazer. Se não o fizer agora vai ficar difícil, vou formar nova curva. Tenho plena noção disso. Sinto-o. Como senti com a roupa, mas ignorei, "não tive tempo"...

E escrevo isto só para me lembrar de ir comprar separadores para o dossier da Associação.

Coitadinha

Hoje no noticiário da manhã, da Sic Notícias, a Joana Latino apresentou esta pérola nas suas escolhas do dia.

Rimo-nos, que parolada, ahahahah, mas o certo é que eu adoro vestidos e saias no verão e para andar de mota sou capaz de fazer esta figura, ou pior. Ora vejam:



Maria Vitória e o Padre

A minha querida mota, que dá mote ao blogue, e de que tão pouco falo entrou, finalmente, no objectivo para o qual foi comprada (além da superação de todo um trauma) - ser o meu meio de transporte nas férias dos meninos, meaning, quando não tenho que os entregar em algum lado de manhã...
Ora bem, terça-feira à noite fomos levar os meninos aos meus sogros pelo que, ontem e hoje, Maria Vitória vem comigo trabalhar. Eu venho mais cedo, trago-a. O R. vem mais tarde, de carro, mas traz um capacete com ele. Porquê? Porque vai almoçar comigo, na minha mota. Um cenário bem diferente de quando ando eu com ele, na mota dele, os dois na minha pequena mota, ainda por cima eu, tremelicante por fazer transporte de passageiros. Ahahahah

Ontem, quando voltámos de almoço aparece-me o Sr. Padre (que já me tinham dito que tinha estado a mirá-la de manhã) e diz-me:
- Olha que isso não é transporte para uma senhora...

OIIIIIII?????? COMO????????

Confesso que primeiro embasbaquei perante o comentário preconceituoso, embora creia que tenha sido uma brincadeira...
Respondi:
- Pois não, é para uma eterna menina.

Ele lá começou a dissertar sobre as motas e rematou que só não anda de mota porque tem vergonha. Ahahahahahahaahahaahah

Sempre se disse que quem desdenha quer comprar (mas... tem vergonha! Ahahahaahh)

Homens...

O meu homem é (graças a Deus e à sua enorme curiosidade e querer saber) daqueles homens que percebe de tudo um pouco e resolve tudo em casa, excepto as avarias da MEO, ahahahahah!
Tem máquinas para tudo, ferramentas até mais não, uma enormidade de parafusos e tudo o que possam imaginar em caixinha e caixinhas de plástico, daquelas com gavetinhas. Há de tudo naquela garagem. Eu já pensei que se pegasse em algumas daquelas gavetas cheias de coisas pequenas que nem imagino o que sejam e as despejasse numa tela de cola fazia quadros impressionantes, abstractos, engraçados, qual Joana Vasconcelos (ui, o que ela não daria por tanta matéria prima).
Isto para dizer que hoje ele recebeu uma máquina nova, veio do reino unido, nem vos digo quanto custou, pesa 90kg (sim, que a carreguei com ele da rua para casa) e é nem mais nem menos que uma máquina que usam os torneiro-mecânicos.
Diz que, além dos 1000 projectos que tem na cabeça, consegue, agora, construir a peça que se estragou no liquidificador (voltem, sumos detox, habemus máquina), assim como uma da máquina de picar carne...
Com os olhinhos a brilhar e a excitação dos nossos filhos quando lhes compramos "aquilo que tanto quero" disse-me, com a voz a falhar:
- "Tu nem imaginas, isto é a máquina de costura dos homens..." Ahahahaahahahaah

Serviço Público - Onde ir de férias/fim-de-semana...

... ou como mostrar-vos que a minha terra é liiiindaaaa!

Mação, 400km's2 de Concelho bem, mas mesmo bem no centro de Portugal (2 horas de Lisboa, se não for eu a conduzir, aí vai para as 2h30 / 3h.)
Mação é assim para o giro, embora seja um concelho relativamente disperso, são quase 100 aldeias, é muito interessante pois, a sul é banhado pelo Rio Tejo e a norte é mais "montanhoso".

Um ponto bom é que tem Posto de Turismo aberto todo o ano, incluindo sábado todo o dia e domingo de manhã (telefone: 241573450)

Temos 3 praias Fluviais: a sul, no centro e no norte do Concelho, uma mais gira do que a outra:

A sul, em Ortiga, no Rio Tejo:

A de Carvoeiro tem Bandeira Azul há 8 anos(é a única na região), aproveita uma ribeira natural e é gira nas horas:

A norte, em Cardigos, só abriu no ano passado e é muito apetitosa. Água azul e que parece uma piscina e não uma praia fluvial.

 
Mesmo na vila, umas Piscinas fantásticas e baratas que, parecendo que não, têm já 3 décadas, imaginem a visão desta gente! Tem uma piscina semiolímpica e outra para crianças!
 
Verão em Mação é assim. Para não falar nas imensas ribeiras, paraísos naturais.
E onde ficar? Fácil.
 
 
Ainda, em Ortiga, a Praia fica ao lado do Parque de Campismo, 3 estrelas, além de Parques para Tendas e Caravanas, tem 2 Teepees.
 
Podia agora dizer que o roteiro está feito mas não. Há sempre muito para dizer!
Aproveitem, sim?!!!
 

Uma memória vale por mil imagens

Só hoje, uma semana depois de termos chegado, descarreguei as fotografias das férias. Este ano não estivemos sempre de máquina em punho, deixei-a em casa várias vezes, não havia aquela necessidade de captar cada pormenor.
Sei, soube-o naquele dia, que os melhores/mais divertidos momentos que tivemos os 5 na praia não foram captados, a máquina estava em casa e ainda bem, estão na nossa memória.

Ainda assim, certa de tão pouco click descarreguei 477 fotografias, ahahahahahah!

É bom ter um registo, incrivelmente até apareço em algumas, graças ao gosto pelas artes fotográficas do meu filho do meio e até já do mais novo. Mas esse adora mesmo é aparecer, não contei mas creio que estará em 90% das fotos..

Para que fique registado, este é o nosso cenário preferido: A nossa praia ao anoitecer, quando todos partem e nós ficamos e tudo se torna mais nosso, mais íntimo. Ele olha o céu e guia o papagaio, eles brincam em liberdade na areia, eu contemplo-os, fotografo-os, sorrio, brinco, aprecio o pôr-do-sol mais romântico do mundo e começo a stressar que é hora de jantar quando já não se vê mesmo nada. Ahahahah. Mães!

Nojentinha, enjoadinha ou simplesmente... sensível!

Tudo indicadores, nesta fase por que passo, de uma coisa que não estou: grávida.

Nada de estranho pois nunca enjoei numa gravidez. Facto é que ando. Muito.

A praia este ano enojou-me bastante pelos fluidos e líquidos que as pessoas ali depositam. Estava provavelmente mais alerta mas achei mesmo nojento a quantidade de pessoas que saem da água e escarram. Blhec

Esta semana já entrei em 2 ou 3 sítios e o odor corporal que se sente incomoda-me por demais... Mesmo demais... de me dar vómitos. É verão, isto pode tornar-se um problema...

Há comidas, aconteceu com o creme da Bolas de Berlim, que só de olhar perco a vontade de comer (este apontamento podia ser ainda mais abrangente do que é, mas pronto...)

Mas depois há outra vertente, ainda mais sensível:

Na sexta-feira estava a assistir a um concerto e entrou o pai de uma menina que ia actuar e ela olhou e sorriu, feliz pela presença, para a mãe que também sorriu, feliz e os meus olhos encheram-se de lágrimas, do que me emocionei...

Ando aqui com um pico de sensibilidade, visual, sensorial, emocional ou o que seja. Completo exagero face a coisas, no fundo, comuns...

Eu bem disse que me senti envelhecer nas férias, mas mesmo. Há aqui algo estranho e que não sei explicar.

A ver se engravido e isto me passa! Ahahahahaahah

Vassourar

Nos dias em que estivemos fora a minha mãe foi lá a casa tratar do jardim, das plantas interiores e dos gatos. Uma fofa!
Quando entrámos veio-me um cheiro a limpo e vi logo que além do chão ainda lavou os tapetes da cozinha. Perece que os gatos vomitaram na manta que está no chão da cozinha, nada de novo para mim, a minha mãe temeu que lhes estivesse a dar alguma coisa enquanto estávamos fora e até duplicou os taças de água para que não lhes faltasse nada.
Antes de voltarmos fomos fazer umas compras, do papel higiénico aos guardanapos, alguns utensílios para a cozinha, uns para renovar outros que não tínhamos como aquela colher para fazer bolas de gelado, tão útil nesta altura do ano. Comprei uma vassoura pois a minha já tinha 4 anos e meio de uso diário, era a mesma de quando nos mudámos para a nossa casa, nem imaginam o estado da desgraçada.
Quando a fui arrumar vi que a minha mãe me tinha comprado uma... vassoura, pois claro! Ahahahah
Não há fome que não dê em fartura e não há, de todo, desculpas para a minha casa não estar sempre impecavelmente varrida nos próximos anos!

Constatações de 9 dias fora de casa

Ou de como já fomos à praia.
Sabe bem sair do ninho de vez em quando;
O meu filho mais novo perguntou todos os dias quando voltávamos para casa... são uns miúdos caseiros, o que fazer?!!!
O dinheiro da natação é um bom investimento, foi o ano em que pai e filhos desfrutaram mais dos momentos na água (ao ponto de saírem engelhados da água...).
Odeio água do mar. É viscosa, fico pegajosa, as pessoas mijam e cospem nela. Odeio mesmo. Fomos todos os dias à praia, alguns mais do que uma vez e eu tomei apenas um banho daqueles dignos desse nome.
Não gosto mesmo de fazer praia, sou uma miúda do campo, o que fazer. Gosto de passear, de conhecer. Por outro lado, adoro dias como o último em que eles estão mesmo felizes e mergulham e mergulham e mergulham....
Não comi bolas de Berlim. Dei uma trinca numa das duas que comprámos para os 5... E o creme fez-me impressão.
Embora considere que um dia no Zoomarine seja um dia muito engraçado, especialmente para eles, mas também para a família no geral, não há carteira que aguente a roubalheira no preço da comida lá dentro. Levámos hambúrgueres, fruta, bolachas e bebidas numa mochila que já o ano passado nos acompanhou ao Jardim Zoológico e só no almoço poupámos uns 40 euros, éramos 7. Ainda assim pagámos cafés a 1 euro cada, Magnums a 2,40, Fizz Limão a 1,30 e água de 1,5l a 2,50.  Eu nem sabia que a Olá praticava preços diferentes e muito inflacionados em certos sítios... Adiante...
Amámos tudo embora o conteúdo dos vários espectáculos nos tenha parecido mais comercial do que interessante, diferente de quando lá fomos em 2007. Andei na montanha russa e JURO que ia morrendo e temi que após a primeira curva o mais novo, que ia comigo, tivesse desmaiado. Mal consegui olhar para ele, sentadinho ao meu lado, sorria e disse: "Gué da Fixe!" Saí agoniada como nem nas 3 gravidezes me senti e eles repetiram mais umas 2 voltas com o pai.
O meu filho mais velho apanhou caranguejos e a minha sogra cozinhou-os e deu para provar qualquer coisa. Apanhámos berbigão e comemo-lo. Maravilha. O mais novo teve pesadelos durante a noite e gritou por causa dos caranguejos...
Ainda o mais velho que além do berbigão e dos caranguejos apanhou e teve num balde uma estrela do mar, parece ter percebido que a vida no mar e as horas que passou a contemplar tudo o que a areia mostrava, guardava, tudo o que a água trazia, mais os amigos exploradores como ele que fez... parece decidido a não ser Pastor mas sim Biólogo Marinho...
Fiz ginástica todas as noites naquelas máquinas engraçadas que há nos jardins e quando cheguei a casa pesei-me e percebi que ganhei 2 kg. O meu homem diz que é massa muscular, ahahahahahahah!
Fomos 2 vezes ao Mc Donald's o que é obrigatório sempre que saímos daqui em férias estando os mais próximos a uma hora de distância + portagens.
Nunca vi tanto biquíni na praia. Em todas as idades, de todos os feitios, muitas barrigas à mostra que não eram rasas nem duras. Fiquei mesmo feliz. Pelas mulheres, percebem? Tanta mãe, recente ou não, tanta avó de biquíni. Tanto corpo normal à mostra. Muito bom! Muito BOM!
Senti-me envelhecer nestas férias. Juro. Não sei explicar porquê, mas senti-o.
O meu cabelo grita por um corte-pós praia. A minha cabeleireira está esta semana de férias. Sou pessoa que vai 2 vezes por ano à cabeleireira que está aberta todo o ano. Era precisa tamanha pontaria?...
Nas 6 horas de viagem até casa os miúdos dormiram todo o caminho. Nós falámos todo o caminho. Lembro-me de um ano, ainda sem filhos, em que fizemos a longa viagem a falar só por rimas. Uns parvinhos. Ontem falámos de tudo, do mundo, da ciência, da vida, das respectivas profissões... Penso ser este um dos pontos mais interessantes de nós, como casal, a quantidade e qualidade de conversa que há. Fez-se num instante, a viagem!
Quando chegámos a casa foi... como dizer.... BOM! Com tudo o que a pequena palavra tem de grande!

Ahahahahaah

Ao jantar, a conversar, o meu filho do meio a devorar um prato de lasanha, pára para comentar com o mais novo:
- Estou a ver-te falar muito e comer pouco...
Resposta do mais novo:
- Pois, não se pode falar com a boca cheia.... Ahahahahahaah

A conversa muda e o meu filho o meio faz nova pausa talvez já no segundo prato de lasanha para dizer:
- Sabes que há famílias que têm dois pais ou duas mães, é normal.
Antes de eu poder confirmar e introduzir qualquer discurso sobre igualdade, aceitação ou tolerância, o mais novo, sempre participativo, confirma e introduz nova informação:
- Pois é, pode ser, e também há famílias que têm duas bicicletas... Ahahahahaahahah

Este miúdo não anda a comer nada de jeito mas anima qualquer refeição!

Várias vidas numa

Esta semana os mais velhos, já de férias ficaram nos meus sogros. Preferiram faltar às actividades de verão em que estão inscritos para usufruir da piscina. Estão a ver o tempo que tem feito? O que vale é que levaram livros, têm recitado o Capuchinho Vermelho à avó que está impressionada com as respectivas capacidades de leitura. Vamos busca-los amanhã porque sexta rumam a Lisboa.
O mais novo quis vir connosco, ainda tem escola. Ontem e hoje dorme nos meus pais aproveitando as folgas da minha mãe e o facto de estarmos, os pais, com horários meio loucos.
Sábado chegámos à cama às 4h00, domingo às 6h00. Às 5 e pouco chamei o homem à porta da cozinha pois já era dia e vimos, como é bonito o amanhecer no campo.
Segunda fizemos pausa e terça, que já era esta manhã, fomos à cama das 7h30 às 9h00.
E porquê? Projectos, trabalho. Coisas dele, nossas, minhas, coisas que nos dão na gana e que fazemos, além do nosso dia de trabalho "normal" e da nossa família. Temos esta ajuda, mais que preciosa, dos nossos pais e de vez em quando é possível.
Eu não seria assim se não fosse ele. Mas até gosto. É preciso fazer-mo-nos à vida. Quando tudo isto acalmar, daqui a uma semana e pouco vêm as férias, a praia, a areia, o mar, a família sem pausas, com tempo. A seguir, tudo volta ao normal. São fases.
Nestas fases sentimos mesmo que vivemos várias vidas numa, mas é bom ter um homem/companheiro/sócio/amigo/com a mania que é chefe(ahahahaah) como este meu.
Penso que a receita de um bom casamento passa por isto, viver várias vidas numa. A sério, quem é que precisa/tem vontade de viver outra? Não há espaço. Ahahahahahaahahahaahh

Reuniões de final de ano

Hoje estive na escola entre as 10h e as 12h30 e ainda só "despachei" 2 filhos.

A palavra de ordem para as férias é Consolidar!

O mais velho, notas muito boas, a menos boa é a Português porque não se consegue ler o que escreve... o que, convenhamos, é chato... Para um rapaz que quer ser pastor tem demasiada letra de médico...
Comportamento bom, peca por alguma lentidão na execução de alguns trabalhos que envolvam... escrita. Pasmei, e babei, com as boas notas nos exames intermédios (fazem exames nacionais no 2.º ano para preparar os do 4.º ano e não contam propriamente para a nota, mas... esteve muito bem).
Tarefa nas férias: Consolidar a letra...

O do meio é o exemplo clássico de imaturidade e falta de atenção. A professora sublinha que não tem mau comportamento mas passa metade das aulas na vida dele. Um bocado infantil, distraído...
Notas boas mas a professora frisou que tem muito mais capacidades. Juro que me arrepiei quando ela referiu a rapidez de cálculo mental, mas se falha um exercício desiste e já não quer saber. Este comportamento implica que não participe, por exemplo, nos campeonatos T-Matik.
Vocabulário e vivências acima da média da turma mas depois não se aplica... o meu filho do meio. Vieram-me mesmo as lágrimas aos olhos, juro. Perceber que aquele meu filho tem mais capacidades do que as que aplica... As notas não são más mas esta sensação de que podiam ser melhores... ai... é que ele é mesmo esperto...
Tarefa nas férias: Consolidar a leitura...

Depois, ao nível pessoal/de feitos de cada um:
O mais velho precisa ser mais activo na sala, mais energético, menos deixa andar... É daqueles que mesmo sabendo não é o primeiro a colocar o dedo no ar...
O do meio precisa ser mais concentrado, ter mais atenção.... se a turma estiver a dar atenção à professora e um dos colegas disturbar ele dá atenção... a esse colega... estão a ver o estilo? Não causa, mas gosta...

A estratégia agora será obrigar o mais velho a fazer 100 reflexões de manhã e o do meio a estar uma hora em estado zen ao acordar... ahahahaahahahaah

Falta o pequeno. Embora já se adivinhe: esperto, concentrado,  mas... muito reguila... MUIIIITOOOOOO!

Antes que me esqueça

Sou só eu que tenho uma pancada pelo guarda-roupa da Melinda (Jennifer Love Hewitt) na série Ghost Whisperer?

O problema é que não é só a roupa do dia-a-dia. São as camisas de dormir, verdadeiros vestidos de gala de dormir, lindos, mesmo.
Fiz um comentário no post da Mel sobre sair da zona de conforto, que em certos aspectos é deixar andar. É-me difícil investir (em mim), abandonar o abandono de certos quereres que não passam disso...

Uma das coisas que gostava era de não vestir o que estiver à mão na hora de dormir. A ver se penso nisto a sério...

No fundo isto era só um post sobre camisas de dormir maravilhosas, mas é mais, porque devia mesmo sair de certas zonas/ hábitos...

Arre'spiga

que uma pessoa nem consegue vir ver as montras, quanto mais escrever...

Preparam-se as festas do concelho, trabalho a rodos;

Entre ter mais um filho ou integrar a Associação de Pais ganhou a 2.ª (para já, ahahahahah) e novas tarefas entram no dia-a-dia. Muitas ideias, muitas. Muito para fazer, mas antes é preciso planear e é no que estamos. Feliz com este passo. Sim, só tem uma semana, mas estou feliz por ter integrado uma associação que se preocupa com a educação e ensino dos nossos filhos;

Filhos mais velhos já de férias, mais novo ainda tem escola até 4 de Julho. Mais velhos nas actividades verão 100% do Município. As actividades desenvolvem-se entre: Museu, Biblioteca, Artes, Escola Fixa de Trânsito, Desporto, Piscinas Cobertas e Descobertas. Pelo meio visitas a locais como Jardim Budha e ida ao Festival Panda, tudo de borla. Pagamos apenas as refeições.
Já vos disse que vivo num sítio amigo disto de se ter filhos? Por exemplo, se tiver mais um, como já aconteceu no 3.º, recebo 1000 euros para ajudar as contas. Bem bom, não?
As Piscinas Cobertas custam 15 euros/mês, natação com professor duas vezes por semana. Como somos família numerosa temos 50% de desconto. Pagamos 22,50 por mês. Se frequentassem só uma vez por semana pagaríamos 4,50 por cada um... Não é incrível? Há ainda ballet: 10 euros/mês. Conservatório de música: 25 euros/mês. Karaté: igual ao conservatório. Futebol: gratuito. A componente escolar entre as 15h30 e as 18h30 é gratuita... continuo? Não dá vontade de aqui morar e ter filhos? Sim, dá!

Os próximos dias são de mais trabalho. Vou tentar aparecer... :)

Ele há coisas...

Hoje de manhã fiz uma actividade na sala do filho mais novo. Levei ervas aromáticas frescas do jardim e algumas flores do campo que secámos dentro de um livro. Levei uma enciclopédia de plantas e falámos de cada uma delas. Ficou uma aroma maravilhoso na sala entre mentas, hortelã, alfazema e alecrim.
A segunda parte da actividade foi fazerem um desenho com a família de cada um a passear num jardim e colámos flores secas e frescas no jardim. Ficaram uns quadros bem giros e perfumados!

Aparte de tudo isto fiquei intrigada com o desenho do meu filho. Ele está na fase em que uma pessoa é uma bola com dois olhos e duas pernas. Desenhou cinco. Depois desenhou uma mais pequena sem olhos e só com uma perna. Perguntei o que era. Disse que era um guarda-chuva. Mas depois ainda lhe fez uns olhos. Ficámos nós os 5 e um ser meio transparente como quem está sem estar. E eu só penso no gémeo deste meu filho que perdemos ainda durante a gestação. Parece que ele sabe sem saber, que o tinha, àquele irmão. Não sei explicar mas fico com um nó no peito, a pensar se será que seja possível que lhe sinta a falta. Percebem isto?
Ou se calhar não é nada disto e ele ia disparado a desenhar e fez um a mais, sem o fazer... Ele só teve aquele irmão durante 3 meses. Será que o chegou a saber, ou a sentir?!...
Há coisas mesmo... estranhas...

Lisboa por estes dias...

... é só saudade, deste lado.
Não é aquela saudade triste, é a de ter boas memórias.
Lisboa, que me parece cada vez mais distante. Lisboa que foi tão minha. Lisboa que eu percorria quase sempre a pé, especialmente depois das aulas quando descia da Cidade Universitária à Avenida da República e depois a descia até ao Saldanha, seguindo para a Fontes Pereira de Melo até Picoas e à minha Andrade Corvo. Tive a sorte de me calhar ter entre casa e escola uma geografia perfeita, estava tudo no sítio certo.
Ainda mais nesta altura em que as tardes eram passadas ali em baixo, no Parque Eduardo VII. Tantas, tantas tardes, ora com colegas dos estudos, ora com as de casa, ora sozinha. Que naquela cidade encantada feita de casas de livros nunca se está realmente sozinho.
Foi ali que, numa volta, vi uma fila enorme, enooorrrrmmmmeeeee. Fui experimentar o autor. Uma sorte de uma volta que descobri Mia Couto e nunca mais o deixei. Ganhou o lugar de eleição no meu coração literário. Mais tarde descobri porquê. Escreve como quem nasceu no Moçambique em que nasceu quem mais tarde veio a ser o homem da minha vida. E tudo ficou claro. Aquela poesia de se ser pessoa que nasceu em Moçambique é qualquer coisa... que sai dos livros e nos encanta.
Lisboa por estes dias eram as noite(ada)s no Santo António. Tanta gente, tanta sardinha, tanta sangria, ou cerveja, mas sou mais sangria. E música popular que incrivelmente me trazia a casa.
Tanta moeda atirada à fonte frente à estátua do querido Santo António. E que bem atiradas, as moedas. Que o Santo foi muito meu amigo e me trouxe um homem que lhe chega a ter o nome, só para eu perceber que tinha ali mão dele. O engraçadinho!
Lisboa por estes dias são sorrisos de boas memórias. Mesmo boas.
Lisboa trouxe-me a Gralha e, por estes (e todos os) dias, sempre a sua companhia. Sim, às vezes estudávamos. Mas aquela Lisboa do Parque a Santa Apolónia era toda nossa, dia e noite, cultura e diversão.
Lisboa por estes dias volta a encher-me o coração.

Tenho obviamente que referir a Lisboa que me fazia sonhar com aquilo do ser-se jornalista. Aquele prédio imponente onde se lia Diário de Notícias no cimo da Avenida da Liberdade comovia-me sempre, puxava-me pelo querer, aquele querer ser jornalista tão presente em mim toda a vida. Tê-lo tão perto de casa fazia-me sonhar. E aquele respeito que sentia quando passava à porta e via alguém entrar e sair. Sentia quase uma reverência. A minha vida profissional nunca se cruzou com o DN, mas tinha-lhe mesmo muito respeito. Provavelmente algumas das pessoas com quem me cruzei à porta e que representavam para mim uma vida de sonho, perderam esta semana o seu sonho. Lisboa por estes dias deixa-me também triste. Não era só o prédio, era o conceito. Que morreu. Que vai morrendo.
A DNA foi, como é hoje a Notícias Magazine, a minha revista de eleição. Gosto de revistas que não estão nas bancas sozinhas, que não precisam de gritar impropérios para que as vejamos, que nos trazem informação, informação mesmo, coisas boas de ler. O irónico é que hoje, hoje mesmo, não me consigo lembrar bem daquele prédio que exercia tanta magia em mim.

Lisboa por estes dias... é isto.

Eles, sempre eles...

Ontem entrei no quarto deles com a maior das energias e exclamei:
- Já só faltam 3 dias de escola!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
O mais velho sorriu e saltou da cama enquanto o do meio respondeu:
- Ora bolas, e sem férias pelo meio..........................
A criança está cansada, portanto. Mas faz-me sempre rir com as suas tiradas...

Filho mais novo tem estado com gripe, uma malandra duma gripe, uma febre chata, uma grande chatice. Ontem já esteve melhor. Hoje de manhã disse:
- Posso ir à escola? POSSO? Posso ir ver os meus amigos? Não quero ir para a casa da avó.
E foi. Feliz da vida. Ainda por mais agora diz que tem uma namorada e já lhe levou flores e tudo e são fofos os dois. Giro!

A Procissão

Amanhã, na festa de encerramento de ano lectivo do Agrupamento, o meu filho mais velho vai integrar uma teatralização da maravilhosa "Procissão" que conhecemos pela voz do enorme João Villaret.
Estive a revê-la e a enviar ao meu homem que não a conhece. Fiquei quase em lágrimas, de tão bonita que é, e pela forma como descreve as procissões das festas das aldeias. Tantos anos em que vesti de anjinho quando era pequenina e tantos mais em que carreguei um dos andores, o de Santa Eufémia, para ser precisa. Eu e as minhas 3 amigas de sempre. Sempre as 4.

Olhem que bonita, a Procissão:
O rapaz vai fazer de bombeiro e não tem nenhuma deixa porque têm a  música de fundo, mas é uma bonita estreia no teatro. Até estou nervosa. :)

O dia das minhas crianças

Foi assim. Muitos jogos e diversão de manhã, festas de aniversário de tarde.
As crianças que ainda habitam nos pais ficaram extenuadas com a manhã pelo que aproveitaram a tarde para uma sesta, TV e jardinagem. Perfeito!

Os nossos 3 corações! 

Das encruzilhadas da vida...

- Ter mais um filho, ou dois, vá...
OU
- Integrar a Associação de pais...

Uma indica um caminho em aberto, ainda em construção.
A outra indica o assumir a estrada que já se percorreu e ajudá-la, no que se possa.

A que me agrada mais é OBVIAMENTE a primeira. mas depois penso que estamos tão bem, são/é tudo tão perfeito. Sinto muitas vezes que a nossa família é esta, está formada. Depois penso "e se", no como seria bom sermos mais, porque no fundo é o que todos queremos...

Depois também penso que não basta apontar o dedo, refilar (ainda que em círculo estreito) no que não se faz, no que podiam fazer, no que se deve fazer para melhorar e alimentar esta relação tão importante: Pais-Filhos-Escola (não necessariamente por esta ordem). Penso que se calhar posso fazer mais. Se deixarem. Se houver realmente espaço. Vêm os "se's" desta vida. Mas começam também a criar-se projectos na minha cabeça. O poder fazer alguma coisa...

Arre que é difícil.
Posso muito bem ficar de braços cruzados e não arriscar nenhum destes caminhos. o que também me irrita.

É muita tensão para uma segunda-feira. Jesus!

Para quando um subsídio

... para pais cujos filhos recebem 5950 convites de aniversário por semana?

É que, parecendo que não, gasta-se nestas tretas festas uma pequena fortuna.

Só no próximo fim-de semana os meus filhos mais velhos têm, entre os 2, SEIS festas de aniversário. Atenção que o mais novo ainda não entrou nesta correria louca que é ter uma vida social activa.

Gastando uma média de 10 a 15 euros por prenda, é fazer as contas...
Não acham que merecíamos um subsídio?

O lado bom é o treino. Quando as pessoas me dizem: "Ai c'horror como é que vão pagar universidade aos 3 praticamente ao mesmo tempo?" Eu respondo: "Deixam de ir a festas de anos e já dá para as propinas..."

É muito, nem sei que vos diga. Há meses em que passa de 100 euros de investimento em prendas... este mês É um desses!

Esta chuva e eu

A chuva que se instalou nos últimos dias, além de me desarrumar o closet e o sistema nervoso, tem coisas boas:
Rega as babatas que pusemos há coisa de 2 semanas. Amolece a terra que precisa ser cavada para mais uns metros de relva no jardim e rega e faz germinar a relva que já semeámos.
Precisava só de uma pausa pequenina hoje ao fim do dia para poder plantar as cebolas que estão num alguidar desde domingo à espera de uma aberta, sim?!!!
Obrigada!

Moçambique...

Ontem adormeci a pensar que o meu homem foi lá nascer e os meus filhos bem que podiam ir lá crescer. Haverá assim um hiato que se fecha entre duas gerações - pai e filhos - e todos voltam ao sítio onde pertencem. Até eu sinto, às vezes, que sou um bocadinho de lá, que tenho saudades de um sítio onde nunca estive..

Posto isto, está tudo em aberto. Creio até que poderá ser o próprio pais a dizer-nos: "venham". E nós vamos. Não vamos, amor? Sim, acaba por ser um convite. Uma ideia. Um plano sem ser planeado, pelo menos para já.

Uma possibilidade em aberto. Ainda que nunca tenhamos falado nisso abertamente.

Pelo sim, pelo não, é altura de pegar no tecido que a minha amiga P. me trouxe de lá e fazer um vestido. Nem que seja para umas férias, vá! :)

O Príncipe das Marés

Vi este fim-de-semana.
Nun-ca tinha visto. Conhecia o título há anos, mas NUN-CA tinha visto.
Como é possível?
Absolutamente maravilhoso. Que filme. QUE FILME!
Não sei se escapou algum pormenor da personalidade humana neste filme. Entrou, assim, de rompante, no top dos meus filmes preferidos.
Muito, muito BOM!

Já viram? Sou a única pessoa que não tinha visto? Se não viram, vejam. A sério. É surpreendente!
Um  achado!

Deixo o trailer que não consegue levantar uma pontinha da profundidade do filme:

Amo

vê-los a lamber cada milímetro do meu álbum de miúda. Riem, sorriem, perguntam: quem, o quê, onde, quando e.... o grande porquê? "Porque é que é papá não está aqui???" Ahahahahaah
Amo vê-los entusiasmados com as minhas primeiras memórias e amo ainda mais que achem que nós, os pais, estivemos sempre juntos.

E explico-lhes que quando eu nasci o pai já tinha os pelos do bigode a aparecer e já andava a piscar o olho às miúdas, já estava a viver num país diferente daquele em que nasceu, já tinha (sobre)vivido a uma guerra e já andava a acabar o 1.º ciclo. As memórias do pai são mais antigas do que as minhas e têm 8500 km's de distância.
Apesar disto tudo eles não percebem porque é que o pai não aparece no meu álbum de criança.
Amo!

Filharada

Ao ler o post da Calita sorri por já ter pensado o mesmo: às vezes uma pessoa pensa que são filhos demais, e não são. Nunca são. Eu vou sempre pensar que tenho filhos a menos e toda a gente que me conhece sabe isso. Não é que tenha vindo ao mundo para ter filhos que é a melhor coisa que faço. Não, não é. Mas é tão bom caraças. TÃO BOM!
Apesar dos cheliques e stresses de certos dias, como aconteceu à Calita com 2 no Hospital no mesmo dia, mais as preocupações, o sufoco e a desmultiplicação, apesar de tudo, é absolutamente maravilhoso ter filhos. Não imagino o que seria ter tido apenas um, ou dois. Imagino, sim, muitas vezes, como seria bom ter mais um, ou dois... É por isso que penso muitas vezes no gémeo que perdemos, no como teria sido bom...
Não é um lugar comum dizer que eles nos ensinam tanto, não é. É real. Não é um lugar comum dizer que somos muito ricos, não é. É real. Não é um lugar comum dizer que o amor se multiplica, se expande, não é. É real.
É que cada um é tão especial, tão diferente, tão maravilhoso, tão único, tão ser humano... Ter filhos é gerar, criar, orientar seres humanos.
Mesmo os dias em que achamos que estamos a fazer alguma coisa mal, são bons dias. São dias de crescimento, de evolução. Nossa. Deles. Da raça humana.
Ter filhos é também uma responsabilidade do caraças. Não percebo como há, no mundo, quem faça mal a crianças. Juro que não percebo. Se penso nisso fico doente, agoniada. E depois custa-me que haja quem não consiga gerar um filho e queira muito. Estas contradições naturais, apesar de tão anti natura, custam-me. Fazem-me questionar os porquês do universo. Por outro lado, acho a adopção um bem enorme, em que se juntam corações carentes com corações cheios de amor para dar. É como uma segunda oportunidade, pessoas que se encontram porque tinha que ser e, se calhar é aí que está a lógica do universo, promover esse encontro. Embora acredite que custe.
Fomos muito abençoados com os nossos 3 filhos e há dias em que os nossos corações ficam muito cheios, plenos de tudo o que é sentimento bom neste mundo. Volta e meia falamos sobre ter mais. Falamos, "ai e se...", recuamos, sorrimos e contornamos a questão, sem a dar por encerrada. Não sei se é só um adiar ou se já temos a prole final. Não sei, não sabemos. Sei que se tivéssemos mais dinheiro era uma certeza e custa-me ser apenas esse o factor determinante. Que acaba por ser só esse. Mas outro dia enquanto lava a loiça estava a pensar que se fosse por fazer contas não sei se tínhamos tido filhos, aahahahahahah.
Depois há o facto de o mais novo já ter 4 anos e entretanto há coisas que já fazemos os 5 e há rotinas novas e giras e um ou dois bebés vinham mudar tudo outra vez. Mas também não seria por aí, porque eles crescem, é uma coisa boa que os filhos têm. Crescem. E é todo um processo maravilhoso.

Um dia destes temos mesmo que definir um plano. Tendo em conta a minha idade, temos 4 anos para ter mais filhos ou fazer um projecto de jovem agricultor. É uma questão a pensar!... Ahahahaahah

Viver em modo rural

Esta semana vi um artigo que apresentava várias soluções para férias ecológicas, passando praticamente todas por casas de madeira.
Vivemos numa casa de madeira. Tem metade do r/c em tijolo forrado a pedra mas o resto é de madeira. Era um sonho comum, das primeiras coisas de que falámos quando começámos a namorar. Foi isso e ter 3 filhos.
Adoramos viver na nossa casa, é realmente diferente, muito confortável, muito acolhedora, muito tudo. Peca talvez pela necessidade de limpeza. Estão a ver quando limpam o pó dos móveis. aqui acrescem as paredes, ahahahahahah.
lia eu nesse artigo que se procura cada vez mais fazer férias em locais como o nosso, no meio do nada, nós a natureza, numa simpática casa de madeira. Vi os preços e constatei algo que me fez elaborar um plano: Se começarmos a passar os fins-de-semana em casa dos nossos pais e alugarmos a nossa casa ao fim-de-semana um de nós, pelo menos, pode deixar de trabalhar. Ahahahahahah
É ou não é um raio de um plano?
Se não me fizesse um bocadinho de impressão ter estranhos na minha cozinha, no meu sofá, na minha cama e até na minha sanita, era um bom negócio, parece-me. Mas sou uma esquisita, o que é que querem! Ahahahahah

De pequenino... se sofre por amor...

Já aqui disse que o meu filho do meio tem uma namorada que, apesar de viver em Coimbra e só se verem umas 2 vezes por ano, o deixa de meter dó com tanto que pensa nela... de tão apaixonado...
A última vez que a viu foi no batizado da minha sobrinha  em Março, desde então tem uma foto dos dois, lindos de morrer, no tablet dele. Já fez um postalinho com coração vermelhos a formar um coração maior para lhe mandar. Avisa a família que tem que ir ao aniversário dele que ela vem e é altura de a conhecerem...
Suspira, fala nela, não têm noção. E é muito, muito fiel, não há miúda na escola que lhe suscite o mínimo interesse...
Outro dia disse-me assim: - A "R." deve chorar com saudades minhas, tão giro que eu estava no batizado... Ahahahahahaah

Mas não para por aqui, que a criança sofre de amor e de saudades...

Ontem, em casa dos meus pais, voltou-se para a minha mãe e perguntou:
- Com quantos anos te apaixonaste pelo avô?
Ela respondeu:
- Com 17 anos...
E ele, num prolongado suspiro, disse:
- Eu apaixonei-me aos 5...
E saiu, pensativo, sem esperar resposta, com o coração apertado e a cabeça na R....

Não é tão lindo???
O pai só diz: "o que este rapaz vai sofrer com as miúdas..."


Educar pelo exemplo...

O meu filho mais novo adora desenhar nas mãos. Faz relógios e o que lhe dá na real gana. É apanhar-nos distraídos.
Quando vemos o resultado lá vem a conversa:
- É feio, vamos lavar.
Ontem tinha que comprar chá e café. Para não me esquecer escrevi na mão, a vermelho, duas letras "C".
Já em casa ele viu e perguntou:
- O que é isso?
Expliquei e tive de resposta:
- E quando lavas isso?

Ahahahahahahahahahahah

A mãe aos olhos dos filhos

O meu filho mais velho ficou em casa no início desta semana com febre e mau estar na barriga. Sempre que um deles fica em casa vou à escola buscar os TPC e ver o que andam a fazer, para não atrasar. Fi-lo a semana passada com o do meio e esta semana com o mais velho.
A professora disse para fazer umas fichas de matemática e o texto e ficha de português sobre o Dia da Mãe.
Leu, respondeu às perguntas e, no final, tinha que escrever um texto sobre a mãe. O dele dizia assim:
- A minha mãe é muito divertida;
- Gosto do cabelo da minha mãe;
- A minha mãe gosta de arrumar a casa.
- Gosto muito da minha mãe.

Vamos decompor e analisar o texto:

- A minha mãe é muito divertida - Confirmadíssimo, obviamente! ahahahah
- Gosto do cabelo da minha mãe - Pois claro, com a devida vénia à genética!
- A minha mãe gosta de arrumar a casa - Ahahahahahahahahahahahahahah. Até me dói a barriga de rir. Quando li isto disse logo: "Deixa aí o livro aberto para o papá ler", Ahahahahahahah
- Gosto muito da minha mãe - Pois gosta, é recíproco, mágico e imortal!

Vou apenas referir novamente o ponto 3 para tecer uma consideração: aquilo que eles me veem a  fazer em casa não representa o que mais gosto de fazer, como se pode perceber... À noite até falámos sobre isto, sobre o tempo que se gasta em casa a fazer de tudo menos o que nos dá real prazer. Não tenho tempo para me sentar no sofá a ler, a escrever ou dedicada a um qualquer projecto giro enquanto eles brincam ali ao lado. Não, o que acontece é dizer "vão para o quarto enquanto aspiro a  sala" ou vice-versa. O tempo que consigo dedicar ao que gosto mais de fazer acaba por ser quando já estão a  dormir e estico o serão, mas isso eles já não veem.
Há coisas em mim, ou de mim, que eles ainda não conhecem. Que vão acabar por conhecer ao longo da vida mas agora ainda não.
O lado bom da questão é que o meu filho me acha uma fada do lar, o que é sempre bom, ahahahahahaah