Do fim-de-semana

- Cozido ao almoço de sábado; 1500 sobremesas ao almoço (e jantar) de domingo. De resto, portei-me bem. De facto o fim-de-semana é SEMPRE demasiado calórico. Se calhar passo a hibernar à sexta à noite e só me levanto segunda de manhã...
- Ir votar e ter perdido só metade do tempo; por um lado o óbvio e esperado, está-se bem; por outro, um eleito que não me fala há anos, ora bolas...
- A nova Casa dos Segredos e como o domingo à noite passa a ser produtivo que só consigo ver aquilo se estiver ocupada, para não me sentir estúpida. Passei a roupinha toda, tanta que de manhã mudei de calças duas vezes, tal era a oferta...
- Uma gripe que se instala, uma noite quase em branco, muito frio, muito calor, ben-u-ron de madrugada e nada, uma senhora dona dor de cabeça instalada no lado esquerdo de ma tete, que até estala...
- Ah! E um filme maravilhoso no Hollywood, no sábado, que todos deviam ver. Vou procurar nome e essas coisas e já conto. Chorei e isso, para mim, distingue os bons dos maus filmes mas não gosto de me gabar antes que me venham buscar para crítica de cinema, que não tenho tempo...
E parece que foi isto...

Ponto 2.

Começa hoje, 28.09, a ser posto em prática o ponto 2 da minha lista de outono.
Daqui a 1 mês faço 35 anos e vou chegar lá com menos 5 kg. Fácil, não?!!!!! Sim!!!!....
Este post acaba por ser uma nota para mim própria, no entanto, vou dando conta da evolução.

Acabei de fazer a bainha a umas calças de ganga n.º 40 que obviamente já estarão largas daqui a um mês. Aos 35, não direi logo, logo, irei comprar e vestir umas 38, que é assim tipo um sonho pois de certeza que desde ali os meus 12 anos nunca me serviriam.
Sad but true.

Partida, largada, fugida ou, em português de onde eu moro: Partida, lagarta, fugida. Gosto mais assim! :)

Cenas de Roupa

Problema: Os meus filhos de 5 e 7 anos têm muitas calças, mas não têm calças... As de 6 anos já não lhes servem e as de 7/8 ficam-lhes largas na barriga. Há calças de tamanho 6 e meio?

Constatação: Ao fazer as máquinas de roupa da semana percebo que 5 pessoas numa casa usam muitas cuecas.

Mudança: Chuva na rua, estendal em casa. Ponto negativo: O cheiro e a textura da roupa não são os mesmos; Ponto positivo: Consigo estender roupa e estar de olho no fogão ao mesmo tempo. Parecendo que não, ajuda muito.















E é isto!

Somos o que...

... comemos? Ou lemos? Ou queremos? Ou todos?

Hoje não tinha nada preparado para o almoço. Quando assim é comemos uma tosta e sopa. Ou só tostas, se por acaso também não tiver sopa.

Pelo que já tinha pensado fazer umas belas tostas de queijo e fiambre, as dele levam sempre tomate e cebola e seria por ai.
Mas, no meu tempo diário de leitura, que é a meia hora em que espero pelo meu marido para ir almoçar, entro numa parte do livro que vem ao encontro das minhas últimas inquietações: energia e saúde.
No livro estavam basicamente a descrever a energia quem vem da natureza para nós (outro tema para outro post) e também de nós para a natureza. Era descrita uma experiência em que se percebia que as pessoas mais atentas a essas energias e que vivem segundo certas ideias são mais saudáveis e felizes. Um dos seus lemas é comer basicamente legumes, aves e peixe. A história é longa, hoje fico por aqui.

Ao ler aquilo pensei, realmente, no porquê de irmos encher-nos de pão quando o frigorífico está cheio de legumes, ainda por cima tudo cultivado pelo meu sogro.
Das tostas passámos para um preparado de legumes e ovos que foi uma delícia.
No wok pus: cebola picada, tomate picado, curgete aos cubinhos e alho francês cortado fininho com um fio de azeite (puríssimo, dos meus pais).

Foto tremida, mas percebe-se. Mais ou menos...
















Foi ao lume. Quando estava quase cozinhado juntei 4 ovos (novamente caseiros) e um belo ramo de salsa picadinha (a salsa é do nosso quintalinho). Juntei ainda duas fatias de fiambre e uma de queijo, que derreteu e ficou uma maravilha.
Mexi bem até ficar pronto, uma pitadinha de pimenta preta e foi o que comemos com uma saladinha de tomate.















Soube tão, mas tão bem! Ficámos muito melhor do que com as tostas e, neste caso, o custo foi zero pois foi-nos tudo oferecido. Tudo, menos o fiambre e o queijo, vá, mas não será por aí. Ah! e o gás, mas quando eu entrar numa cena completamente zen, faço uma fogueirinha na rua. Agora ainda não! :)

Estou feliz, pronto!

Viagem de Sonho


Uma das minhas viagens de sonho é conhecer o Alasca. Sim, parece meio parvo mas o que querem? Muito mais depressa me apanham no Alasca do que num destino paradisíaco, só sol e praia.

O Alaska fica no cimo dos Estados Unidos, ali como quem vai da Rússia para o Canadá. Diz que tem as melhores paisagens do mundo, a aurora boreal mais perfeita do planeta e muito peixinho para ver e comer, que faz bem. Ah! Sim, e frio, mas nós vamos no verão que, na loucura, chega aos 18 graus!

 
 
 
 
 
 
 
O plano é uma coisinha simples que se faz em 10 dias. Aterramos em Anchorage. 1 ou 2 dias de visitas na zona.
 

Dali fazemos o Road Trip: Alaska's Seward Highway, diz que são 201 km’s que, por si, valem a visita. Há vários pontos de paragem obrigatórios pelo que a viagem poderá durar 3 ou 4 dias. A auto-estrada centra-se entre o mar ou lagos e as montanhas, o máximo.



 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Chegados a Seward, onde ficaremos mais 2 ou 3 dias, com direito a passeio de barco para ver as baleias, as orcas e os leões marinhos; visita ao observatório do mar.
 
 
 
 
 
 

 
Dá-se um saltinho ao Parque Nacional dos Fiordes de Kenai; vamos ver os ursos e as águias e pronto, parece que será isto! Voltamos para Anchorage (se der, de comboio) e apanhamos o avião para casa.
 
 

Adeus tosse

Desde que as aulas começaram fui duas vezes, por motivos de trabalho, à escola dos meninos e encontrei sempre o mais velho sem boné no recreio. O que é que aconteceu? Muita tosse e ranho, pois claro. Há 2 noites atrás foi a noite toda a tossir, uma coisa por demais. Na ida à farmácia para comprar maxilase e ben-u-ron veio a dica contra a tosse: espalhar vicks nas palmas nos pés ao deitar.
Lembram-se daqueles tubos horríveis que se enfiavam no nariz? E há o boião para espalhar no peito.
Assim fizemos e não é que a tosse se foi num ápice?!!! Nem pus no peito, só nos pés e a coisa resultou mesmo.













Fica a dica. Creio que, com o tempo que está, poderá ser muito útil!

Outono

Gosto de ti, deste tempo mais fresco. Gosto mesmo. Acalmas-me.
Posto isto, depois da Gralha e da Mel é altura de fazer a minha própria lista de projectos para a nova estação.

1. Retomar urgentemente as entrevistas no Ouvir Dizer, por todos os motivos do mundo e porque me faz muito feliz;
2. Fazer 35 anos em forma e cheia de estilo (leia-se: mais magra);
3. Recomeçar a dieta (não sei se lhe chame dieta pois falamos do que deveria ser a minha alimentação e ponto final), não, não é dieta, é recomeçar a alimentar-me bem e não como uma lontra irracional;
4. Começar a fazer exercício físico;
5. Construir, junto com o senhor meu marido, um anexo/arrumos/garagem. Será apenas mais uma prova de que tudo se consegue;
6. Comprar botas para toda a gente lá de casa.
7. Procurar saber quando pedir o Bolinhos Santinhos com os meus filhos, com isto da anulação do feriado no 1 de novembro... domingo seguinte?
8. Preparar as prendas de Natal, cada vez mais artesanais e personalizadas. Desenvolver as ideias que tenho para prendas (e pensar em comercializá-las seria giro)...
9. Dedicar-me um bocadinho à máquina de costura, conquistá-la e deixar que me conquiste. Poderá ser uma relação maravilhosa.
10. Adoptar uma atitude nova com o crochet e com a tricot (em português: renda e malha). Começar por fazer cachecóis para os meninos;
11. Tornar-me uma pessoa bem mais organizada. Consciente de que tudo corre melhor e somos mais felizes quando sou organizada. É um passo pequeno para mim que muda muita coisa lá em casa e no resto da minha vida.
12. Mostrar mais às minhas pessoas como são importantes para mim! A todas!
13. Usufruir da Maria Vitória sempre que o tempo permitir!

Ficamos pelo 13, que é um número bonito! Como será bonito seguir esta lista.

Adeus verão!

Não me custa despedir do verão porque cada estação traz experiências novas, distintas e, se formos criativos, maravilhosas. E porque gosto muito do Outono, os tons amarelo e vermelho são bonitos!
Posto isto, adeus Verão, foi bom enquanto durou. Para o ano há mais!

O nosso verão foi de praia, eles mais do que nós. Foi de férias a cinco e de muitos dias a dois, enquanto eles recebem mimo (muito mimo de todas as formas dos avós).
Foi um verão em que o investimento numa piscina de 100 nos fez pensar que temos que apostar numa piscina com mais uns zeros. Ontem, 24 de setembro, ainda foi dia de piscina lá em casa. Depois de um dia de escola, refresca o corpo e a alma e os TPC a seguir já não custam tanto.
Foi verão de ida ao Zoo, que vinha sendo adiada filho após filho até que todos tivessem uma idade-menos-dependente para todos podermos usufruir. Foi um dia fantástico, todos adoraram referindo, no entanto, que o que mais gostaram foi dormir de véspera em casa dos tios... Podíamos ter poupado nos bilhetes, não era?
Foi o verão em que o nosso jardim-em-construção apresentou mais flores e cores vivas. Um dia será uma maravilha de jardim, daqueles de sair em revistas. E o melhor é que nos sai do corpo cada evolução, cada espaço conquistado, ui, se sai!
Este verão crescemos todos muito, foi o primeiro verão em que eles já são todos seres mais ou menos autónomos e foi muito, muito bom! Venha o próximo, mas antes, o Outono e as castanhas e as pipocas ao fim-de-semana e a relva a crescer, muitos aniversários e o Natal e depois de amanhã já é 2014. Bolas!


Esponja

Não sei se é só comigo, mas é grave e muito enervante.
Além de não ter grande cultura musical - sou um ser em recuperação - acontece-me frequentemente ouvir uma musica e ficar com ela na cabeça em repeat durante horas, geralmente músicas de treta.
Posto isto, acordei há uma hora e desde então que no meu cérebro ecoa: "e de repente click... um vestidinho chique...". Quando digo em repeat é isso mesmo...

Educar Cavalheiros

Quando os meus filhos têm festas de anos faço sempre questão que levem qualquer coisa para oferecer à mãe dos aniversariantes.
Acho um gesto bonito.
Normalmente faço grandes ramos de flores com o que há no campo e já saíram ramos bem jeitosos. Na falta de flores campestres faço bolachinhas que embrulho em papel pardo com uma nota de agradecimento. As mães gostam e eles percebem o quanto os gestos cavalheirescos são bonitos.
A amiga de uma prima de uma amiga minha, disseram-me, ficou muito emocionado com o gesto quando o mais velho foi à festa da filha dela.
No fim-de-semana tiveram festa e no nosso pequeno-jardim-em-construção temos um canteiro de girassóis. Parece que espalhei mal as sementes e cresceram muito juntos e ficaram magrinhos, agora que têm flor ficam pesados para a fraca estrutura e estão quase todos tombados. Cortámos alguns e fizemos um raminho para levarem. Compõe a prenda e, sublinho, é um gesto bonito!
Ficou assim:















Não gostavam de receber um? Eu sim!!! :)

Piquenique ao almoço II

Hoje fizemos novamente piquenique ao almoço. O pai lá de casa ainda está numa formação e não nos acompanhou mas tivemos outra companhia. A minha mãe, a minha irmã e a minha sobrinha, que tem 7 meses.
Desta vez o almoço ficou a cargo da minha mãe, o que muda todo o cenário de fazer um simples piquenique.
Sabem porquê?

1.º: Vejam a diferença entre o saco do almoço do 1.º e os sacos do 2.º, eles nem o conseguem levantar. Ahahahah



2.º: Enquanto o primeiro consistiu nuns simples hambúrgueres, o almoço da minha mãe só diferiu realmente do local pois a ementa era composta por:

Baldinhos de sopa de agrião - comeram toda!




Sopinha própria para a bebé

 
Franguinho assado. Não, não sobrou nada!
Saladinha


Sobremesas para todos os gostos!

De maneira que foi isto, nem me consigo mexer ou como a  minha mãe tem um conceito de piquenique muito dela!
Até nos rimos porque a grande diferença em relação a irmos a casa dela, foi a loiça que não ficou para lavar!
 
Ainda esta semana/na próxima, dependendo do tempo, ainda vamos repetir, desta vez com o pai lá de casa!

Exercício físico

Apesar de ter amigas giras e desportivas e ter casado com um praticante de artes marciais que a dada altura frequentava dois ginásios ao mesmo tempo, sou basicamente um ser desinteressante e amorfo no que ao exercício físico diz respeito (de resto sou super interessante, mesmo!).
Nunca pratiquei uma única modalidade desportiva e no secundário era uma miúda estranha que tinha o período 3 a 3 vezes por mês, assim diziam as justificações que dava ao professor! Ele acreditava pois ver-me a correr ou a torcer-me com dores menstruais é muito parecido.
Lá em casa temos uma passadeira e uma máquina de nome Hércules, que é exactamente esta:


 
Com esta máquina consegue fazer-se 16 tipos de exercício. Eu uso-a muito para por a roupa que trago do estendal, ali na prateleirinha da frente...

Entre atirar-me à máquina ou seguir o exemplo da Gralha*, é altura de fazer algo por mim!

* Eu lembro-me de a Gralha praticar Remo com uma garra enorme e voltar depois da interrupção da Páscoa com as mãos cheias de bolhas, mas falamos de umas 24 bolhas por mão, e imensamente feliz, mesmo assim! Penso nisto e não faço ideia quais os gostos comuns que tínhamos para ter ficado amigas... estou a brincar, somos ambas maravilhosamente interessantes!

Sonhos...

Ao deitar os meus filhos os dois mais velhos não paravam de pegar um com o outro, ao que exclamo em tom drama queen:
- Aiiii, o meu sonho era ter filhos amiguinhos uns dos outros...
 O do meio voltou-se para mim e disse:
- Sabes qual é o meu sonho? É ter uma casa com luzes no chão...

??!!!????

Era uma vez um calhau musical: eu!

Não tenho uma banda, um cantor ou uma música preferida. Sou basicamente um calhau musical que ouve o que der na rádio podendo, ou não gostar. Sou daquelas pessoas que abrindo o Youtube para ouvir qualquer coisa não faz ideia do que pesquisar e fica ali "vou ouvir o quê?" e muito mais depressa abro o site da Comercial e ouço o que passa. Sou este tipo de pessoa. Depois, sou casada com a maior enciclopédia musical de sempre que conhece tudo, todos, de qualquer estilo. Conhece TUDOOOO! Qualquer música de qualquer anúncio, filme, o que for...

Foi ele que me ensinou que esta é a melhor e mais bonita música de Bob Marley (muito bonita, mesmo)!


O quanto esta música é maravilhosa e profunda e envolvente, e como ele a trauteia tão bem, que o meu homem tem umas bonitas cordas vocais, que tem!


Que esta música não é sobre uma qualquer Joana, como eu achava..., mas sim sobre Joanesburgo, a cidade que o acolheu aos 6 anos e de onde saiu homem feito com 32, para vir ao meu encontro, ainda que não soubesse a sorte que vida lhe ia proporcionar, ahahahahah!

Foi o meu marido que me mostrou a fantástica música de Sixto Rodriguez quando o mundo ainda o desconhecia, quando o próprio desconhecia o quanto era conhecido na África do Sul. Quando em 2012 o mundo o conheceu através do documentário Searching for Sugar Man eu, pela primeira vez na vida no campo musical, senti-me um passo à frente! :)
 
Apresentou-me também músicas maravilhosas de filmes maravilhosos. Como o seguinte. Desconhecia ambos mas quer o filme, quer o tango, fazem parte das minhas listas de preferidos.
 
São tantas, tantas as músicas que ele foi trazendo para a minha vida e desembrutecendo este verdadeiro calhau musical, além de tudo que que trouxe e me fez crescer, mudar, evoluir, aprender, ficar tantas vezes de boca aberta e dizer: "a sério???".
Por fim, uma música de um dos cantores preferidos dele. A música escolhi-a eu pois acho que fala dele.
 
Desfrutem a vida e o amor com música boa!

Fresco sem chuva

Não sou pessoa de muito calor. Nem de chuva horrível. Aquele meio termo, aqueles dias de Outono, mais frescos, um pouco mais escuros, a dar para o cinzento, adoro. Isto faz de mim uma pessoa sombria?

Sentido de Humor

O meu marido fez outro dia uma ressonância magnética. Quando saiu disse que quando lá estava literalmente enfiado só se lembrava daquelas cenas de filme em que a pessoa desata a ter um ataque, o corpo a tremer por todo o lado, luzes e sirenes de emergência a tocar, a confusão total, típico de qualquer episódio do Dr. House.
Hoje, ao falar coma minha sogra ela estava a dizer-me que está em pânico pois também vai fazer e tem pavor de sítios apertados. Tem mesmo muito. Uma vez ficou parada num elevador num 8.º andar e desde então não a apanham em espaços pequenos. Estava eu a  dizer-lhe que não custa, que é fácil, que o filho fez e não custou mesmo nada e passei o telefone ao filho para lhe explicar como é. Acreditem, a minha sogra fica muito nervosa por causa do exame.
Ele esteve para lá de 15 minutos a dizer que vai ser fácil. Que tem espaço, que nos ouvem, que falam connosco, que vai correr bem, que tudo é fácil. Foi uma conversa de sensibilização enorme.
Tive tempo de aquecer o almoço, despachar um prato de feijoada, reaquecer o prato dele e esperar. Estava eu a ouvir a conversa quendo ouço ele dizer: - A não ser que seja como nos filmes e te dê.... Pára Tudo!! Levanto as sobrancelhas em choque, faço um olhar de "P'lo amor da Santa..." e ele trava e desata a rir e a minha sogra novamente: - O quê, dê o quê?!...
Foram 15 minutos de terapia por água abaixo, é o que me parece...

Cada um na sua vida

- O mais velho é confrontado pela minha mãe, pois o meu pai não percebeu uma situação no dia em que os foi buscar à escola e ficou preocupado. Quando lhe perguntou o que foi fazer, ele respondeu: Uma coisa! A minha mãe insiste, eu também, ele faz um ar meio aborrecido, tipo-não-se-metam-na-minha-vida e lá responde: - Fui deitar migalhas às formigas....
Explosão de riso. E a história foi que na 3.ª feira era o ultimo dia de férias do meu pai e ele foi busca-los à escola. Quando chegou o mais velho ainda andava com o tupperware das bolachas na mão, acabou-as entretanto e correu para detrás da escola, junto ao campo de futebol onde, pelos vistos, há um formigueiro. Mas deve ter tido vergonha de dizer o que foi fazer... O meu pai não se calava, que algum dos mais velhos lhe pode ter roubado ou "oferecido" alguma coisa, um filme com argumento maçador e enorme, cheio de suspense. Afinal, o rapaz só tinha ido alimentar as formigas...

- O do meio já andava a deprimir pois o irmão traz trabalhos de casa desde 2.ª feira e ele... nada. O rapaz queria estrear-se, ter uma ficha para preencher, qualquer coisa para acompanhar o irmão no tempo de enorme seca prazer que é fazer os TPC. Mas quando digo ansioso... é o que é! Na 3.ª ou 4.ª feira teve ali um esperança e disse que trazia um livro com TPC, mas era apenas a Agenda do Aluno para preencher os dados dele...
Até ontem... ontem entrou no carro e disse: - Trago aqui uma surpresa!!! Ao que perguntei: - Quem é que fez anos? (Pensei ser uma lembrança de algum aniversário). Ele diz que ninguém fez anos e fez-se-me luz: - Tu não me digas que trazes trabalhos de casa!
O maior sorriso do mundo, olhinhos a brilhar e solta um: - SSSIIIIIMMMMMM!
Quando terminou a ficha, que eram linhas e círculos pontilhados para ligar os pontos e depois pintar ele disse: - UFA! Não acredito que queria fazer trabalhos em casa, é cá uma seca...

- O mais novo é fascinado, mas mesmo fascinado por: tractores e motas. A escola é boa porque tem tractores para brincar. Ponto final. Quando chega a casa pede constantemente para ir à garagem para andar com um capacete na cabeça. Ou então subir para cima da mota com o pai, ou sentar-se no tractor do avô... pequenas coisas que o fazem imensamente feliz. O problema é que não fala em mais nada: só motas e capacetes. Acorda e diz: - A mota? Ao deitar pergunta se pode por o capacete na cama... muito, muito chato com os capacetes, ao ponto de termos mesmo que lhe comprar um de brincar mas com aspecto verdadeiro...
Ontem de manhã no carro disse: - O papá é meu amigo e vai dá-mi a mota e o capaxete compido e eu vou ser um xupé-herói.
E é isto, só quando dorme é que não fala no tema, o Moto-Man que vai salvar o mundo!

Piquenique ao almoço, nham, nham!

Hoje o almoço foi muito diferente. O meu marido saiu para uma formação e eu não sabia muito bem onde ir almoçar. Até que pensei: está bom tempo, poupamos as refeições deles na escola e fazemos algo diferente: Um Piquenique! Com a sorte de haver um Parque de Merendas junto à escola deles. E assim foi.
De manhã trouxe a merenda, muito saudável: hambúrgueres (com tomate e cebola, nham!), batata frita de pacote e coca-cola de lata! Para sobremesa: bolachas Oreo. Não será das refeições mais saudáveis mas um dia não são dias...
Percebi que, de facto, podemos repetir isto muito mais vezes, para a semana vamos com o pai, que também vai gostar. Pode comer-se qualquer coisa, trazendo num saco térmico ou algo do género. E come-se e está-se mesmo bem por ali!
Mais do que falar, vou mostrar:

A caminho, eles com o saco do almoço, a escolher uma mesa!
 
A limpar a mesa das folhas secas


Durante o almoço
Depois do almoço, passeio (a piscina municipal ao fundo)
Descoberta do miradouro - a que chamaram Caracol

A ver a vista...
A vista!

Corridas e mais corridas, e quedas e risos e calções muito sujos...

Para terem noção: aqui acaba o parque, ali é a escola!

Já junto à escola, um chafariz pitoresco onde lavaram mãos e cara, porque a roupa não dava...
Por eles é experiência a repetir todos os dias. Foi bem bom, é o que vos digo.
Há quanto tempo não fazem um piquenique? Mais, há quanto tempo não almoçam (literalmente) fora? Fica o desafio, é muito bom! Mesmo sem parque de merendas, num banco de jardim, é sempre bom!

A Lux Woman diz e é verdade...

Andar de mota é (quase) só pontos positivos.

A Lux Woman, dentro do género, é das minhas revistas preferidas.
Esta reportagem, da Jornalista Marta Braga, na Lux Woman de Setembro conta  como é andar de mota uma semana. Partilho das opiniões que destacou.

Ora vejam:

Dia Nacional do Pijama

Sabiam que existe? Que se pode ir de pijama para a rua? É dia 20 de Novembro!

Pois, é para crianças até aos 6 anos, mas a criança que há em mim adorou a ideia. Tanto mais porque não é só as crianças irem de pijaminha para a creche/jardim-de-infância. Não, há muito mais! Há um lado mais sensível, solidário e que faz realmente pensar...

Saibam tudo, aqui





Inscrições para as escolinhas até 30 de Setembro!
Amanhã vou falar no Jardim, acho que seria bem giro! Eles iam delirar, ir de pijama para a escola... :)

Supercalifragilisticexpialidoso

Lembram-se de tentar dizer isto na escola? Em lembro-me de tentar, só uma coleguinha sabia dizer a palavra.
 
Ontem depois dos TPC houve sessão de Soletrar lá em casa derivado de algumas dúvidas/esquecimentos provocados por "férite aguda" e eu já dedo no ar a dizer que para o ano as férias não serão tão folgadas e a hiperventilar. O pai entrou em acção e começou a dita sessão, que foi bem animada. Às tantas inverteram-se papéis e já era eu a soletrar palavras até que o meu marido lança:
Supercalifragilisticexpialidocious (ele só sabe em inglês)
 
E eu não conseguia atinar com a tradução. Hoje fui ver como se diz mas descobri um mundo novo.
Porquê, quando, onde e o que significa esta palavra? Sabem? A wikipédia diz isto: 
 
"Supercalifragilisticexpialidoso é o título de uma canção do filme de Walt Disney Mary Poppins (1964). A canção descreve a forma milagrosa para sair airoso de situações difíceis, e mesmo mudar a sua própria vida. Uma outra interpretação faz referência a algo fora do comum, algo que está acima do comum, supra-sumo, espetacular.

A canção surge numa parte do filme na qual a personagem Mary Poppins é assediada por jornalistas depois de ganhar uma corrida de cavalos; um jornalista pergunta-lhe se não tem palavras para descrever o que sente, e então inicia-se uma sequência animada onde Mary Poppins começa a cantar sobre uma palavra que expressa os seus sentimentos nesse momento: "Supercalifragilisticexpialidoso".!
 
De acordo com os irmãos Richard e Robert Sherman, a canção foi composta em duas semanas. A palavra pode ser definida como: super- "above", cali- "beauty", fragilistic- "delicate", expiali- "to atone", and docious- "educable", o que significa "Atoning for educability through delicate beauty." Em português, algo como "Expiatório para educabilidade através da delicada beleza".
De acordo com o filme de 1964, a palavra é usada quando "não há nada para se dizer".

Do Youtube, para ver - rever - tentar - desistir - sorrir:


Ok, desisto! Ahahahaah!
 

Nano-Micro-Mini-Jovem Agricultor Junior

O meu filho mais velho tem uma ideia formada do que quer ser "quando for grande" p'rái desde que nasceu.
Desde muito pequenino que diz querer ser "Pastor". Juro! Nós rimo-nos, brincamos, mas é uma coisa muito dele, o campo e os animas. Uma vez estava eu a contar isto em tom cómico no trabalho e disseram-me: "Ouça, um indivíduo com 150 cabeças de gado é um Senhor!". E eu calei-me...
Para terem noção da coisa, quando ele tinha uns 2 ou 3 anos foi com os meus pais para a Nazaré, que tem aquelas barraquinhas juntas. Ao lado da deles estavam 2 ou 3 vagas. Ele atribuiu animais imaginários a cada uma, eram as suas capoeiras, cheias de animais imaginários, inclusivamente enchia o baldinho da praia de areia e atirava areia para o chão a dizer que estava a dar milho à galinhas, ahahahahaahh! Demais!
Também por essa altura perguntou-me: "Achas que o papá me pode emprestar dinheiro para um comprar uma quinta e depois quando eu ganhar dinheiro pago-lhe, ou será que tenho que ir trabalhar nos computadores e poupar dinheiro para depois comprar a quinta?"... Ele teria uns 3 anos e pouco...
Uma das educadores que teve disse-me que é raro ver miúdos tão certos nesta idade mas que quando têm uma ideia formada, raramente se desviam dela. E este país precisa de quem se dedique à terra!
Quando os miúdos estão no último ano dos Jardim-de-infância as psicólogas da Câmara vão à escolinhas aplicar-lhes testes para analisarem a maturidade/conhecimentos/desenvolvimento e quando lhe perguntaram o que quer ser... lá está. Com o pormenor que identificou quais os animais que quer ter e quantos de cada espécie...
Há uns tempos estávamos a falar de sonhos e do que precisamos para os atingir, eu falei dos meus e eles dos deles. Este meu filho disse que tem o sonho de ter "um enorme armazém cheio de pintos, uns para terem ovos, outros para crescerem e terem mais pintos", falava de um aviário, portanto.
E é isto vai para 8 anos, inclusivamente no quintal dos meus sogros há uma parte demarcada que ele cultiva. Se o avô planta couves deixa 3 para ele plantar e houve um ano em que as dele cresceram primeiro e fiz uma sopa com essas couves e ele ficou super orgulhoso.
Há tempos o meu pai é que os foi buscar à escola e quando chegaram lá a casa, enquanto esperavam por nós, o meu pai lembrou-se que tinha sementes de meloa no carro e deu-lhe meia dúzia que semearam junto à nossa casa. Foi um bocadinho a passar a época de as semear mas têm crescido. O pai regou-as quando eles estavam de férias com os avós mas normalmente é responsabilidade dele. Há 2 dias reparei que o sítio tinha sido arranjado, tem umas caldeiras para a água se concentrar. São umas caldeiras um pouco exageradas mas não pensei que tivesse sido ele, mas foi, de enxadão na mão. O nosso Nano-Micro-Mini-Jovem Agricultor Júnior.
Ora vejam:
Vista geral






















Pormenor, esta tem 2 meloas!!!
















Nano-Micro-Mini-Jovem Agricultor Junior

















Sim, possivelmente o futuro dele será na terra, da terra, pela terra... Acho ótimo!

Na minha terra...

Há uma senhora que é testemunha de Jeová e que anda sempre muito preparadinha e tem sempre a mala num braço e um montinho de folhetos da religião que apregoa no outro.
Essa senhora passa os dia na rua, quase sempre nas esquinas, para apanhar clientela de todos os lados.
Na minha terra cumprimenta-se toda a gente, mesmo que só se conheça de vista e eu também o faço. Digo-lhe quase diariamente "bom dia" ou "boa tarde".
A dita senhora até nem é de fazer publicidade agressiva, estende a mão e quem quer recebe o folheto. Já aceitei um ou outro e até já lhes passei os olhos só para ter opinião e por acaso é gente que explica bem as coisas.
Até ao dia em que passei por ela, folheto no ar, eu para aceitar e ela diz: "O fim está próximo...".
E agora sou pessoa para a evitar, que aquilo fez-me confusão...

Investimentos

Acabei de gastar 2 euros e o retorno serão 34 milhões. Não é um investimento do caraças?!!!

Coisas que vou fazer com os 34 milhões (por ordem):
1.º) Enlouquecer;
2.º) Tratar-me num especialista caro;

Fora de brincadeiras, é uma lista com 2 ou 3 factos muito concretos, o resto é vago, porque efetivamente não sei o que é ter 34 milhões.

Seria algo assim:
1.º) Mobilar o Centro de Dia na terra dos meus sogros que é tão necessário, que está pronto, e só falta mobilar e que deixaria o meu sogro muito, muito feliz!
2.º) Presentear os nossos mais próximos;
3.º) Acrescentar alguns, MUITOOOSSSS zeros nas contas dos nossos filhos;
4.º) Tirar 1500 planos da gaveta, daqueles que vão criar oportunidades e emprego, e produzir, e cultivar, e criar, e não ter que pensar em "como raio vou conseguir investimento para isto?";
5.º) O "básico" viajar o mundo e mostrá-lo aos nossos filhos;
6.º) E tanto sei lá mais o quê...

Não irei comprar 10 casas e 20 carros e fazer não sei quantas parvoíces.
Mas depois falamos melhor e eu conto como foi!

HowTo: Fazer Bolachinhas SOS

Antes de me deitar gosto de deixar as mochilas deles prontas/em ponto de marcha e as malas do lanche o mais preparadas possível. Ontem à noite quando fui ver o que tinha para os lanches de hoje não tinha pão normal e tinha apenas 3 pães de leite, que não são muito grandes. Bolachas para complementar também não havia grande coisa.
Hoje de manhã levantei-me mais cedo - e olhem que me soube bem! - para fazer as mais fantásticas e fáceis bolachas do mundo. A receita é simples, rápida e fácil: a minha cara, portanto!

Faço estas bolachas em 15 minutos, incluindo cozedura. Juro! São ótimas quando aparece alguém e queremos oferecer alguma coisa para comer, daí chamar-lhes Bolachas SOS. Os ingredientes são coisas que temos geralmente em casa.

Receita (3,2,1):
- 300 g. farinha
- 200 g. manteiga
- 100 g. açúcar

Grau de dificuldade: Ver livro: "Como fazer bolachas, para Totós" - ahahahah, muito fáceis, mesmo!
Tempo: Super rápidas (15 minutos, bolachas no prato)
Economicamente: bastante acessíveis!

E é só isto. Juntar tudo e amassar. Eu faço assim: peso primeiro a manteiga, levo o recipiente 30 segundos ao micro-ondas para amolecer e depois junto o açúcar e a farinha e amasso.

Notas:
- Antes de preparar a receita ligo logo o forno no máximo para ir aquecendo. Polvilho o tabuleiro de ir ao forno com farinha, não muita.
- Pode juntar-se raspa de limão ou mesmo uma colher de sopa de chocolate em pó, para sabores diferentes. Lá em casa gostamos muito do sabor a limão, mas hoje fiz simples.

Estende-se a massa com o rolo, nem requer farinha ou algo para espalhar pois tem muita alguma manteiga e não agarra à pedra do balcão da cozinha.

Estendida a massa, cortam-se as bolachas. Tenho aquelas formas para cortar a pasta de açúcar e gosto de usar as que têm forma de flor, mas quem não tem pode usar um copo ou qualquer coisa em forma de circunferência, a massa é muito fácil de cortar, ou mesmo moldar bolinhas com a mão.

Esta receita dá para umas 50 bolachinhas. Geralmente é um tabuleiro e meio de bolachas, 2 cozeduras, portanto.

Quando o tabuleiro está cheio vai ao forno que já está quentinho. Quando coloco o tabuleiro regulo a temperatura para o 180º e marco 8 minutos no temporizador, são mesmo muito rápidas de cozer.

E pronto. Repito para a massa que sobrou, geralmente mais meio tabuleiro.

Para ilustrar, tirei algumas fotos, ora vejam:

A Massa, o rolo e a forminha para cortar


Massa já estendida, pronta a cortar

Primeira fornada pronta
Olha que bonitas ficam! (E boas!)





Miminho a juntar ao lanchinho deles! Enchi 3 destes! :)

Maria Vitória

Neste tempo de "vamos lá entrar na rotina" Maria Vitória fica na garagem...
É só entrar nos eixos maria mota, que de tarde volto para ti, quando a avó os for buscar à escola! Há tempo para tudo e para todos!

Re-1.º dia

Que isto na sexta-feira não valeu nada.

De manhã nenhum queria ir para a escola. Pegaram todos na mochila e lá foram.
De tarde estavam tão felizes na escola que levei uns 20 minutos a sair ao portão.

Filho do meio levou 2 cartões amarelos... vou perceber bem o que é isto dos cartões-tipo-futebol.
Diz que ao 3.º já recebia uma vermelho. Professora estava numa reunião, abordei discretamente a funcionária da sala para perceber o esquema dos cartões. Disse que não os recebeu por mau comportamento, foi só por estar um bocadinho desatento...
Hummm, não sei se gosto disto... Vamos ver!

Escrever vidas

Não são apenas histórias, são mesmo vidas, de pessoas reais.
Ouvir o que dizem, como contam, absorver no coração e deixar que flua nas veias. Quando chega ao cérebro é começar a escrever e contar tudo com pormenor na perspectiva de alguém de fora mas que adorou entrar num novo mundo, numa outra vida. E conta-la.

Se pudesse, era só isto que eu fazia na vida.

Outro dia o meu pai telefonou-me à 1h45 da manhã (estava eu a acabar de colar etiquetas nos livros escolares deles), a dizer para ver o Canal 2, que estavam exactamente a falar disso. Era o programa Autores.

Eu não quero nem sonho ser escritora.
Sei que não consigo, talvez por preguiça, inventar todo um enredo e fazer dele um livro apetecível, coerente, de interesse, capaz de marcar vidas. Sou um bocadinho limitada nesse sentido.
 Mas ser contadora de histórias reais é qualquer coisa do outro mundo e eu podia, se pudesse, fazer apenas isso!


Costura...

Os mais velhos tinham uns saquinhos oferecidos por uma tia para o lanche. O mais pequeno tinha igual mas mais pequeno, não cabia o lanche. Ainda pensei comprar aquelas lancheiras de plástico mas o tamanho não se adapta a todos os lanches...
Vai daí, véspera das aulas começarem fui buscar um lençol da cama de grades que já não se usa (por agora) cá em casa. Terá uns 20 anos pois foi herdado dos meus sobrinhos.
Cortei do tamanho de uma bolsinha aproveitando a fita que o lençol tinha, alinhavei e... a dona da mota NÃO SABE coser à máquina, apesar de o marido da dona da mota ter trazido uma Singer maravilhosa no enxoval e já me ter tentado ensinar. É muita informação ao mesmo tempo... É como uma mota com mudanças... não dá!
Levei a bolsa alinhavada para a minha mãe concluir o trabalho. Além de ter cosido ainda fez um bordado a ponto pé de flor e o resultado da bolsa do lanchinho foi este:

Imita os sacos do pão antigos!



















Não é linda?!!!

Amanhã...

... é o dia UM de mais um ano lectivo.

Às 9 da manhã de amanhã temos que deixar 3 filhos em 3 salas de 3 edifícios diferentes, embora contíguos...

Para complicar:

- o mais velho começa só amanhã e embora já seja o 2.º ano (e ele já queira ir sozinho), o edifício é novo e não o conhecemos e temos que ir dizer um olá/bom ano à professora;

- o do meio já teve hoje a apresentação mas a professora esqueceu-se de eleger o representante dos pais e às 9 horas um de nós tem que ir à sala;

- o mais novo já teve hoje a apresentação mas ainda é o mais dependente e a educadora tem uma ficha para nos entregar amanhã...

Seremos 2 distribuídos por 3. Na boa! Poupamos imenso em ginásio?!!!

(e cá dentro ainda penso que se fossemos 2 distribuídos por 4 ou 5 ainda seria mais giro!!! suspiro...)

Google, às vezes és parvo

Há dias passei muito (demasiado) tempo no tal do Google à procura de uma imagem gira para fazer as etiquetas do material escolar dos meninos... Quando digo muito falo de mais de 1 hora. Queria algo "etiqueta+escola+infantil+vintage"o que poderá ser, vá, complicadito... Ainda assim, muita imagem, pouco do que eu queria.
Lá escolhi, coloquei os nomes/ano/turma/n.º de cada um e pronto.

Terminadas as etiquetas deles fui novamente ao navegador de internet supracitado pesquisar uma imagem para fazer um cartaz para um concurso de cantores.
Primeira página de imagens e aparece-me o desenho mais fofo - mesmo o que esperava - para fazer as etiquetas deles...

Tanto tempinho perdido... Então, amigo? Eu até sou uma pessoa que te visita todos os dias... Isso faz-se?

Sim, já refiz as etiquetas, ficaram tão, mas tão mais giras...

Prendas sem preço, só valor...

Há tempos ofereceram-me uma mala. E que mala...

Não tem marca (apesar de ter)...
Não foi comprada, foi construída com mãos hábeis...
Não está na moda, mas tem tanto de criativa...
Foi uma prenda sincera, das melhores que recebi nos últimos anos!

A minha mala nova foi-me oferecida e fabricada por um barbeiro/alfaiate de 83 anos que ainda trabalha, que se mantém activo e que é simplesmente extraordinário.

A minha mala nova deve-se ao trabalho que desenvolve nos tempos livres... faz reciclagem e malas que são maravilhosas...

Ora vejam bem:

A mala é assim!





















Pormenor das alcinhas cosidas à máquina...





 
Pormenor de lado
São 7 saquinhos de café que poupam o ambiente e o resultado é muito, muito bom! Estou rendida à minha mala reciclada!
 
O Sr. António e eu ficámos amigos quando lhe fiz uma entrevista. Penso que quis retribuir com a malinha. Podem conhecê-lo no meu outro espaço, clicando aqui.
 
Nota: é por prendas destas, a proximidade, antes da mala, que volto a perceber porque quis voltar à terra, o lado bom da terra...


1.º meio dia de escola

Foi só a manhã, duas estreias lá em casa: o mais novo no Jardim e o do meio do 1.º ano. Pai ficou na primária, mãe foi para o jardim.
A reunião na primária foi longa, miúdos ficaram a brincar na rua e pais na sala com a professora.
A reunião no jardim foi mais curta e só atrasou mais porque o meu filho insistiu que ficava na sala a brincar. Tudo na rua e nós lá dentro: ai as ferramentas, ai o tractor, ai mais isto e aquilo. Eu a dizer que amanhã fica lá o dia todo e ele o que fez? Arrumou as ferramentas de que gostou num cestinho e enfiou-o no forno de brincar. Assim, amanhã, já sabe onde as encontra...
Deixei-o com as funcionárias que estavam no parque infantil e fui ter com o pai à reunião do 1.º ano, no edifício do lado. Quando saímos, já com o filho do meio muito feliz por ir para a primária, o mais novo insistia que ficava na escola e foi danadinho arranca-lo dali...
Portanto, dramas e choros no 1.º dia, só porque quer ficar na escola... Ao 3.º filho fica tudo realmente mais fácil! :)

Maria Vitória - O Capacete II

Na véspera de receber Maria Vitória o stand informou-me que não tinha, à altura, a mala da mota. Pelo equivalente (+-) do valor pedi para me enviarem, então, o capacete. Havia um bem giro no site, um pouco mais caro do que a mala, mas o senhor disse que o enviava.

Quando Maria Vitória chegou, na sexta-feira, depois de o senhor da transportadora S3UR (não sei se posso dizer nomes) começámos a desembrulhar a surpresa e nada de capacete. Eram quase 19 horas e fomos num instante à única loja cá do sítio que vende capacetes. Comprei o único que condizia com a mota/me servia na cabeça e depois telefonei para o stand para perceber porque não tinham enviado o capacete. O Sr. F. disse que sim, que o capacete vinha numa caixa junto da mota e que ia perceber o que se tinha passado. Ainda telefonei para o senhor da transportadora que me pediu para verificar que o papel do transporte que recebi com a encomenda só referia 1 volume, assim era.
Hoje telefonei para o stand que, por acaso (ou já de prevenção), tira fotografias quando a transportadora carrega encomendas e, além disso, um funcionário do armazém para onde a encomenda foi lembra-se que eram 2 volumes. Mas a caixa do capacete esfumou-se que é como quem diz, foi roubada... Quando a carrinha foi carregar as encomendas Maria Vitória já estava sozinha, o capacete já tinha evaporada...
Pelo menos o stand tem provas do envio do capacete e deverá ser recompensado, julgo eu, pelo valor do mesmo...

Acham isto normal? Pessoal que trabalha em armazéns de distribuição de uma transportadora a roubar? Não deveria haver ali um mecanismo que o impossibilitasse? Melhor gestão, mais rigor, algo que não permita que uma encomenda de 2 volumes se transforme só num... e ainda por cima o capacete era bem giro...

Nada contra o que acabei por comprar, o forro até é da cor do banco de Maria Vitória mas bolas, o outro ficou-me atravessadito, era muito bonito... mas mais alguém achou o mesmo...

Sempre achei as transportadoras mais sérias do que os CTT, era o que me parecia...

Tão mau que chega a ser bom...


A Caras diz e eu acredito

Motores: As scooters que estão na moda

Mobilidade e economia são atributos que fazem com que as scooters tenham cada vez mais adeptos, mas para além disso, estes veículos de duas rodas já se transformaram num estilo de vida, mesmo para muitos famosos (vejam as fotos, o Clooney usa mota de 2 rodinhas, uiii, menina...)


Ler tudo aqui

Quando eu for grande

... maior em coragem, do que em sonhos, será assim:














Já esteve tão perto, tão longe, tão dentro de mim, tão prestes. E depois vieram os medos e ficou o sonho.
Por coincidência li hoje ou ontem isto. E acho que choro...

Gónadas

Acabei de aprender uma palavra nova. Juro que não conhecia, mas sou uma miúda do campo que podia sobreviver a comer apenas couves com feijão.
Vejam bem a relevância do teor desta notícia. A sério, para fazer um estudo é preciso dinheiro, já pensaram canaliza-lo para estudos importantes? Hummm???

Sei lá, se calhar estudar que homens com gónadas mais pequenos têm maior vocação parental é um feito do caraças. Será? A mim só vai formar o preconceito e cada vez que ouvir alguma mulher comentar que o marido faz tudo lá em casa, só posso responder: "Ahhh, tem gónadas pequenos, hã?!!!".

As moças casadoiras vão ter mais um factor a analisar antes de dar o nó, sim? Neste caso, quanto menor, melhor...
Vejam a notícia e apreciem o penúltimo parágrafo, em que explicam o estudo, nomeadamente a parte em que foram a casa dos 70 casais e mediram os ditos gónadas dos esposos...

Nossa senhora....

Mas a sério, conheciam a palavra gónadas?

Já pensaram nisto?

Entre o desejo e o medo, entre o poder e a existência, entre a essência e o declínio, caem as sombras. É assim que o mundo termina. (T. S. Eliot)

Motivos para andar de Mota I

Mototerapia

Sabiam que existe? Eu já gostava de andar com o meu marido, o ar na cara faz muito bem à cabeça. Certo é que se trata de um momento intimista, sem rádio Comercial ou grandes conversas e o capacete faz-nos sentir a cabeça e, quem sabe, colocar as ideias em ordem.
Os motociclistas mais experientes dizem que andar de mota é terapêutico e eu acredito, por todas as emoções e boas energias que sentimos quando somos só nós, a mota e a estrada.
Acreditem em mim que já andei com a Maria Vitória p'rái umas 3 vezes!!!
Eu acho, e os especialistas também:

Estudo diz que andar de moto faz as pessoas mais felizes
19 de Julho de 2013
Uma pesquisa realizada na Inglaterra com 1.514 pessoas pelo instituto ICM Research perguntou quais as atividades e hobbys que lhe traziam mais felicidade e andar de moto foi apontada pelos entrevistados como a prática que mais contribui para trazer alegria.
O resultado do estudo surpreendeu os pesquisadores que apresentavam entre as opções de respostas no questionário outras atividades bem conhecidas e muito praticadas pelos ingleses como pescar, correr, nadar, acampar etc.
Outro aspecto detectado na pesquisa mostrou que as pessoas que praticam atividades fora de casa são mais felizes que as que realizam atividades domésticas. Parece que o caminho da felicidade mesmo é andar de moto.
Fonte: Equipe MOTO.com.br

Cabelos ao vento II

Hoje de tarde levei Maria Vitória para o trabalho, toda eu cabelos ao vento. É realmente maravilhoso.
Liberdade, liberdade!!!

Quando chegámos o marido foi dar uma voltinha com cada um dos meninos. Deliraram. Embora o mais novo continue a dizer que é quase grande e a do papá é dele, e o capecete do papá é dele, e é quase um homem grande, e por aí...

Ingratos, quando fizerem 16 anos, não são as motas do papá que vos safam, será sim, Maria Vitória!...

Para qualquer livro de condução...

... podem adaptar, é assim que se fazem oitos:

 

Feita num 8...

Não, não nos espatifámos (ainda)!!! Ahahahah

Maria Vitória chegou sexta ao fim do dia.

Primeiro babei, depois foi o pânico, o terror... Pareceu-me enorme, nunnncaaa na vida ia montar a bicha e fazer-me à estrada... Muito, muito medo!!!

Senhor meu marido foi logo dar uma volta. Mais tarde, fui com ele, que não tinha gasolina. Parámos nas bombas, atestámos. Um depósito cheio custa qualquer coisa como... 8 euros... ahahahahah

Ele perguntou se eu queria conduzir, disse que não.

Ele, dono de dois portentosos animais de 2 rodas, só dizia que é super fácil de conduzir, super prática, que anda bem, que tenho que ter cuidado com a velocidade... e aquele pânico a atacar o meu estômago...

Na volta parámos um pouco antes da nossa casa para eu me estrear com Maria Vitória. Lá fui, devagarinho, à procura da minha confiança perdida algures entre as 18h e as 18h05... ou nem tanto...

Fizemos os 300 metros até perto de casa e ele disse: vamos continuar... E fomos...

Antes de cada curva eu dizia: Ai, uma curva
Antes de cada descida eu dizia: Ai, uma descida
Antes de uma grande rotunda eu disse: Aiiii, uma rotunda...

Mas fez-se tudo, muito a medo. Andar em frente é realmente muito bom... No final, prova superada, senti-me muito bem. Até começar a sentir umas dores nos braços... tal o stress que foi, conduzi Maria Vitória com os braços completamente hirtos que nem uma barra de ferro...

Sábado de manhã eu precisava de ir à vila e ele disse que não me deixava sair de carro, ahahahahah
Negociámos (sim, ele tem a paciência de negociar quando o medo e o problema era só meu...). Ele foi comigo. Quando entrámos na estrada principal ele esticou os braços, pregou no volante(ou será guiador?) e começou a acelerar, íamos a 40 km's/h, chegámos aos 60, ahahahahah

Na vila superei mais uns quantos obstáculos... nomeadamente ir ao maior estabelecimento comercial do sítio (intermarché) buscar 2 pacotes de leite. Ahahahaahh

No compartimento debaixo do banco couberam: 2 pacotes de leite, 1 coca-cola de 2 litros e um saco com 4 cebolas, ohhhh yeahhhh

Entretanto o meu marido disse para irmos para o estacionamento das piscinas cobertas, local espaçoso e sem trânsito que já era fixe para os casalinhos irem curtir à noite e agora tem uma nova utilidade: escola de condução.

Chegados, ele saiu da mota e começámos as práticas: Faz zeros, dizia ele, e eu às voltinhas - acelera/desacelera, acelera/desacelera...
Depois ele disse: Agora faz oitos... e foi como fiquei feita num oito...

Ás vezes ia quase ao passeio, tremia, pé no chão... volta e meia corria bem e ele dizia: Boaaa!
E eu ficava toda convencida, a pensar que era para mim!... Ai se o BE te ouve, a mandar piropos à dona da mota... :)

As lições dele foram muito, muito, muito úteis. Só mesmo ele para ter paciência para os maus ataques de pânico!

Voltámos para casa, fizemos hambúrgueres de frango e almoçámos, até que comecei a sentir uma dor no fundo do crânio, lado esquerdo, provavelmente por não estar habituada ao capacete...

Maria Vitória, dás cabo da dona...

Mais logo mostro foto da menina nos oitos!...


Trabalho de parto...

Se com os meus três filhos demorou, porque é que pensei que com a Maria Vitória seria diferente?!?...

Quinta-feira à noite:

Ele: É já amanhã, estás nervosa?
Eu: Não, estou só ansiosa...

10 minutos depois

Ele: Estás nervosa?
Eu: Só ansiosa...

10 minutos depois

Ele: Estás nervosa?
Eu: Ansiosa...

10 minutos depois

Ele: Então, estás nervosa?
Eu: Estou a ficar...

10 minutos depois

Ele: É já amanhã, estás nervosa?
Eu: Vou dormir...

Ahahahahahah. E não estou a  exagerar, foi MESMO assim!
Pelo menos dormi quase 8 horas, praticamente o dobro do costume e estou fresca que nem uma alface para receber Maria Vitória.

Pessoas que me ligam e eu nunca atendo, hoje o meu telemóvel é uma extensão do meu corpo, coladinho a mim, á espera do telefonema da transportadora. Se precisarem, hoje atendo, sim?!

Sabem quando estamos grávidas...

... e de repente parece que está meio mundo à espera de bebé?

Esta semana constatei que metade da população local tem uma mota. A sério!

Sai da frente, Guedes

é o que me ocorre...

Sim, vamos filmar...

Ele...

... descobriu hoje que cai duas vezes de mota na minha vida. Por acaso, as 2 únicas em que conduzi motas. Foram 2 motas, de 2 amigas.

Ele... pensava que tinha sido apenas 1 vez.
Duas em duas pode ser considerado um padrão?

Ele... diz que o apoio que deu, sendo assim, teria sido pensado 3 vezes... :)

Por falar em 3, quando se diz que não há duas sem três, é a sério? Mesmo para quedas de mota?

Agradeço esclarecimentos...

Coincidências...

Mas há, ou não há????

Uma pessoa compra uma revista de Cake Design (sim a menina gosta) - mas foi só porque trazia de oferta 2 formas borboleta que vou usar no bolo de 1.º aniversário da minha sobrinha mai'linda, que tem 6 meses, ahahahaah!

Bem, dizia eu que comprei a revista e no interior, entre as receitas, destaque para:















Pronto, faltava um bolo para a ocasião, et voilá!
Amanhã, mãos na massa! E no volante?!!! Mas não ao mesmo tempo, prometo!



Ora bolas....

Telefonei para o stand pois assumi que o capacete era oferta. Mas não, só no período de promoções, o que não é o caso...

E AGORA???

Maria Vitória chega amanhã e capacete... nada. Quer dizer, há sempre os do marido, mas são grandes demais para esta mota.

O problema é que onde moro a oferta é pouca...

Sexta-feira

Parece que chega sexta-feira...

Quando meio mundo fala do início da escola dos miudos, eu falo na vinda de Maria Vitória.
É que a escola aqui, só de sexta a uma semana, há tempo para tudo e para todos!!!!!!!!

Sexta-feira...
Sexta-feira...

Há aulas de preparação para receber uma mota? Inspira, expira? Respira, no geral?

Maria Vitória - O Capacete

O capacete... ai o capacete...

Além do já referido trauma de não ter tido uma mota quando as minhas amigas tiveram, aos 16 anos, há uma agravante, que acaba por ser um segundo trauma... o capacete!
Sou cabeçuda. Não fico presa quando passo num beco, mas quase. Nenhum chapéu giro de jeito me serve na cabeça. Nada.
Quando andávamos de mota, eu à pendura, elas com aqueles capacetes giros, pretos, pequenos - e eu... nenhum capacete me servia. A solução veio da minha amiga S., cujo irmão tinha um capacete branco, enorme, para andar de kart. Podiam ver-se 2 ou 3 motas de miúdas giras e olha, um capacete branco enorme, do género do seguinte, mas mais antigo:




Por saber esta parte do meu passado, há 2 dias o meu marido disse-me:
- Já tiraste as medidas à cabeça para enviares aos senhores do stand?...
 
Ontem, à 1 da manhã, estávamos na garagem a experimentar os capacetes dele para ver o tamanho, o capacete dele que costumo usar quando andamos de mota magoa-me na testa.
Fui à caixa da costura e concluímos que tenho mais 1 cm, ele diz que é só meio cm, de cabeça do que ele (a embalagem pode enganar, ahahahahahah)!
 
Ainda não sei como será o meu 1.º capacete, deixo 3 opções, sendo que prefiro a 3.ª:
 
1.ª) Se a opção da mota tivesse sido a rosa:

 

2.ª) Opção mais fashion...
 
3.ª) Acho mais giro, combina com a Maria Vitória: