Maria Vítória - a Cor

Sendo um sonho com 20 anos, eu estava meio paradinha na ideia de ter uma mota cor-de-rosa!
Quando vimos as vespasdemasiadocaras estava lá uma vermelha linda de morrer, também gostei.
Depois, quando descobrimos o stand vimos que havia o modelo Vitória em preto, beje e amarelo.
Preta eu não queria, penso que perde as linhas, tão mimosas. A beje, achei gira. Mas depois vimos a amarela e o marido também achou gira e decidimos que seria a amarela. Quando telefonei para o stand a conversa foi mais ou menos isto:
Eu: Achámos a beje gira, mas a amarela é muito engraçada.
Sr. F.: Sim, é vistosa.
Eu: Pois, lá chamar a atenção, isso chama, é fora do comum.
Sr. F.: Olhe, é bonita mas digo-lhe que ver uma todos os dias, olhe que cansa um bocadinho...
Eu: Hummmm... pois, se calhar cansa. Sabe o que era mesmo giro? Era uma cor-de-rosa.
Sr. F.: Olhe, por acaso recebemos esta semana 5 cor-de-rosinhas, a ver se têm saída.
Eu: (tom louco de entusiasmo) ESTÁ A GOZAR COMIGO? Tem em cor-de-rosa????
Sr. F.: Temos pois, veio meia dúzia delas.
Eu: Então vai já vender uma... Se bem que... quer dizer... lá em em casa, hummm, sou a única mulher. Já viu o meu marido e os miúdos daqui a uns anos com a mota cor-de-rosa.
Sr. F.: Ó minha senhora, isto hoje em dia vê-se de tudo, outro dia passou aqui um mercedes cor-de-rosa, isto agora é tudo igual...
Eu: Pois... pode mandar-me uma fotografia?

Ficámos de voltar a falar. Enviaram-me as fotografias. Gira, a mota.
Caíram todas as dúvidas em mim... Cor-de-rosa? Por um lado, parecia que todas as forças do universo se uniam para atingir aquele sonho. Quando finalmente vou comprar a mota, acabaram de receber em cor-de-rosa?!!!...Era perfeito, mas... muitos "mas" baixaram em mim...
Grandes sessões de brainstorming, ao ponto de o marido fazer cara o coroa (em que ganhou a cor-de-rosa) e dizer para fazer uma análise swot à situação... JURO!
Mas não era preciso, a outra opção seria a beje e, pensando bem em mim hoje em dia, a cor-de-rosa seria a parte do sonho que tinha ficado da menina de 16 anos. Tive realmente dúvidas em ver-me numa mota cor-de-rosa. Em consciência, optei pela beje, comuniquei ao stand que seria a beje, para avançarem.

E acreditem que depois de tomar a decisão conclui que a beje é muito mais a minha cara, hoje em dia. Mais discreta, mais clássica, liga com a maioria da minha roupa, enfim, tudo a ver.

Conto isto meio a brincar, mas concluí que quando se atingem os sonhos há pormenores que o tempo muda, altera, adapta. Não sinto necessidade nenhuma de chamar tanta atenção como a que teria a mota cor-de-rosa. A beje sou mais eu, hoje. Fiquei muito feliz com a opção.

Posto isto, senhoras e senhoras, a Maria Vitória é beje, com banco castanho, gira nas horas!

E do stand, nada... ai, ai...

3 comentários:

  1. Se tivesses escolhido a vermelha, ainda dava uma voltinha ;)

    ResponderEliminar
  2. Gralha, mas a vermelha que vi era uma vespa pura e verdadeira e cara para a minha humilde bolsa... Tipo 4 vezes o que pago por esta... Triste, mas verdade!
    Sandra, eu por agora também sorrio, depois logo veremos...

    ResponderEliminar